menu

Brasil

21/10/2013


Governo elaborou estudo sobre fim das Docas

EXTINÇÃO

O governo apresentou a empresários, sindicalistas e técnicos do setor, há dois meses, um projeto sobre a unificação das Companhias Docas. O objetivo do estudo é extinguir as oito empresas no País e criar a Docas Brasil. A coluna teve acesso ao documento. Com a proposta, haveria um único presidente para a Docas (em vez de oito). O número de diretores executivos cairia de 22 para quatro, e o de conselheiros de administração de 41 para seis. Dos atuais 33 conselheiros fiscais, sobrariam três. A informação foi publicada pela coluna, na edição de 11 de outubro. O ministro interino dos Portos, Antonio Henrique Pinheiro Silveira, procurou a coluna para desmentir a informação. "Não existe isso. Não há essa discussão", garantiu. Segundo ele, teria existido apenas a sugestão de Secretarias dos Portos Regionais.

Essa proposta teria surgido em meio às discussões sobre a modernização de gestão das Companhias Docas. Mas foi deixada de lado, de acordo com o ministro. “Foi uma teoria, lá atrás. Faz tempo. A discussão acabou”, afirmou. Há dois meses, no entanto, a ideia de unificação das Docas continuava em debate. O estudo, com 30 páginas, foi elaborado pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (DEST) do Ministério do Planejamento. Recebeu o nome de “Reestruturação Organizacional, Unificação de Processos e Renovação da Força de Trabalho”. A Docas Brasil já tinha até logotipo. O estudo prevê um programa de demissão voluntária. Numa simulação, dos atuais 3.818 empregados das Docas, 1.382 poderiam aderir ao programa. O custo seria de R$ 257 milhões. A assessoria da Secretaria dos Portos foi procurada, mas não retornou.

iG Política

Notícias relacionadas