menu

Brasil

25/10/2013


Ibope: Para Campos pesquisa apenas afere tendências

PERNAMBUCO

Essas sondagens só servem mesmo é para aferir tendências”! Assim foi definida pelo governador Eduardo Campos (PSB), a pesquisa Ibope divulgada nessa quinta-feira (24) sobre as eleições presidenciais. Com um cenário em que Dilma venceria logo no primeiro turno, e inclusive, teve um aumento de 11% desde a avaliação de Julho, o socialista demonstrou esperança na página de seu Facebook afirmando que em 2006, quando ganhou o governo de Pernambuco, tinha apenas 3% das intenções de voto.

No quadro mais provável para 2014 – Dilma contra Aécio e Eduardo Campos – a presidente teria 41%, o senador de Minas Gerais, 14%, e o governador de Pernambuco, 10%. No entanto, o presidente nacional do PSB não se mostrou surpreso com os dados e disse já ter participado de muitos pleitos. “Muitos de vocês devem ter visto os primeiros números da pesquisa Ibope divulgada hoje (24). Já participei de muitas eleições, seja como candidato, seja como militante de outras candidaturas. E se tem uma coisa que eu sei sobre pesquisas de intenção de voto é que, a um ano da eleição, essas sondagens só servem mesmo é para aferir tendências”, argumentou Campos.

Analisando os resultados que colocam Dilma como a favorita, o socialista inverteu o foco da amostra e refletiu sobre um cenário próprio. “A pesquisa do Ibope confirmou o que disse o Datafolha há uma semana, meu nome mais que dobrou na confiança das pessoas em relação à pesquisa anterior, em setembro. No Datafolha, eu tinha 8% e pulei para 15%. No Ibope, foi de 4% para 10%”, ressaltou em rede social.

Ainda trazendo a análise a seu favor, o governador defendeu a tese estratégica de seu discurso nos últimos meses de debater novas ideias para o país. “Os números dos institutos são diferentes porque suas metodologias são diferentes. Mas ambos mostram que há uma clara tendência de adesão às ideias que estamos discutindo com o Brasil. Porque o que muda um país, o que muda de verdade a vida das pessoas são as novas ideias que conquistam o sentimento da gente”, opinou.

Alfinetando discretamente os concorrentes, ele frisou também a maneira de como se ganhar as eleições sem ficar preso a acordos ilegítimos. “É só assim que vale a pena ganhar uma eleição. Como diz minha amiga Marina Silva, ganhar uma eleição e ficar refém de acordos espúrios é ganhar perdendo. O único jeito de ganhar ganhando é com ideias, com apoio do povo”, expôs.

E para não ficar para trás dos dados expostos, Eduardo Campos aproveitou o cenário das eleições de 2006, para dizer subjetivamente ser possível uma reviravolta. “E, para quem duvida da força das ideias, só digo uma coisa: um ano antes da eleição de 2006, quando disputei e ganhei pela primeira vez o Governo de Pernambuco, as pesquisas diziam que eu tinha apenas 3%”, disparou.

iG Pernambuco

Notícias relacionadas