menu

12/06/2019


João Azevêdo abre em Campina 30ª edição do Salão do Artesanato da Paraíba, cujo tema é “Labirinto”

A Arte que Une Gerações”, e que reúne mais de 300 artesãos de João Pessoa, Campina Grande, Areia, Sumé, Dona Inês, Cabedelo, Santa Rita e Bayeux, dentre outros municípios. Nos próximos 19 dias, são esperados mais de 100 mil visitantes e a comercialização de mais de R$ 1 milhão em produtos durante a Feira.

A vice-governadora Lígia Feliciano, deputados estaduais, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e auxiliares do Governo da Paraíba prestigiaram a abertura do evento. 

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual ressaltou que, além de fomentar a economia, o Governo valoriza a cultura e a tradição popular com a realização do Salão do Artesanato.  “Esse é um reconhecimento da gestão com um segmento da economia muito importante e é assim que vamos continuar agindo no sentido de preparar as pessoas para comercialização, consolidando uma rotina profissional em todo o processo”, declarou. 

Ele também evidenciou a satisfação do Governo de promover o evento. “O Salão está muito bonito e foi preparado com o respeito que os artesãos merecem e tenho certeza de que essa será uma das maiores feiras de artesanato da Paraíba. Nós investimos aqui quase R$ 1 milhão, o que demonstra o esforço da gestão para proporcionar esse momento ao artesão e queremos que cada um venda o máximo que puder e que, acima de tudo, saia daqui sabendo que estamos olhando para eles”, ressaltou. 

A primeira-dama e presidente de honra do Programa de Artesanato da Paraíba (PAP), Ana Maria Lins, destacou o trabalho intenso que a equipe do Governo promoveu para garantir o sucesso do Salão. “A nossa missão é nobre e tem o objetivo de dar condições para os artesãos comercializarem seus produtos. Eu agradeço o envolvimento de todas as pessoas que contribuíram com esse trabalho grandioso”, pontuou. 

O secretário do Turismo e do Desenvolvimento Econômico, Gustavo Feliciano, afirmou que o Salão do Artesanato se configura como uma ação do Governo para fomentar a economia. “A Feira tem o envolvimento de mais de oito mil pessoas que trabalham com o artesanato paraibano, reconhecido nacionalmente, e os turistas realmente estão interessados em conhecer e comprar as verdadeiras obras de arte que são produzidas no nosso Estado”, frisou.  

A gestora do PAP, Marielza Rodrigues, comemorou a visitação do público já no primeiro dia de evento. “As pessoas já estão acompanhando o nosso Salão, as homenagens às labirinteiras e conhecendo a história que está por trás de cada produto que está sendo comercializado”, falou. 

O Salão do Artesanato da Paraíba, realizado pela Secretaria de Estado do Turismo e Desenvolvimento Econômico (Setde)/PAP, ocorrerá até 30 de junho, com visitação das 15h às 22h, no Museu de Arte Contemporânea (MAC) Assis Chateaubriand, da Unifacisa. No local, os artesãos expõem peças de diversas tipologias como o labirinto (temática desta edição), algodão colorido, brinquedos populares, cerâmica, metal e couro, além da parte gastronômica, com comidas e bebidas típicas da Paraíba, como rapadura e cachaça.

Além da ampliação do espaço, o Salão tem como novidade a proibição do uso de sacolas e canudos plásticos como contribuição para preservação do meio ambiente. A entrada será mediante a doação de um quilo de alimento não perecível, cuja arrecadação será entregue a instituições carentes em uma parceria entre o Governo do Estado e a Diocese de Campina Grande.

Notícias relacionadas