menu

Brasil

09/09/2016


Ministro do Trabalho recua e nega jornada de 12 horas de trabalho

O governo de Michel Temer fez mais um recuo nesta sexta-feira 9, um dia depois de ter anunciado que tentaria elevar a jornada de trabalho de 8 para 12 horas diárias. A declaração foi feita ontem pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB-RS), em reunião com sindicalistas, e causou forte repercussão.

A reação à afirmação desagradou o Planalto, que determinou que o ministro voltasse atrás. Nesta sexta, em entrevista à Rádio do Estadão, ele disse que apenas citou um exemplo hipotético. "Seria voltar à escravidão", afirmou. Ontem, ele havia dito que a proposta fazia parte da reforma trabalhista enviada pelo governo ao Congresso.

"Venho do meio sindical, imagina se apresentaria proposta de aumento de jornada. Serão mantidas as 44hs de trabalho por semana", disse hoje o ministro. "Não se falou em aumentar a jornada para 48 horas semanais", acrescentou, destacando que "direito você mantém, não retira".

Notícias relacionadas