menu

Brasil

27/09/2016


Núcleo de confiança de Temer o aconselha a demitir Moraes

Embora tenha decidido adiar para hoje a conversa que teria com Alexandre de Moraes, depois do escândalo do vazamento da mais recente etapa da Lava Jato durante um evento eleitoral do PSDB, o presidente Michel Temer ainda vem sendo pressionado a demiti-lo por seus assessores mais próximos.

Um dos motivos é a quebra de sigilo da operação, que transmite a ideia de perseguição a adversários políticos.

Outro, o fato de Moraes servir mais a Geraldo Alckmin, que será candidato à presidência em 2018, do que a Temer.

"Há ainda um mal-estar pelo fato de Moraes se equilibrar entre Temer e Geraldo Alckmin (PSDB-SP). Ambos podem, em 2018, disputar a Presidência do país, embora o atual presidente negue a intenção de concorrer à reeleição", diz a colunista Mônica Bergamo. 

Notícias relacionadas