menu

Bahia

22/04/2016


Presidente diz que paga até passagem para delator falar contra Cunha

Conselho de Ética

Presidente do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, José Carlos Araújo (PR-BA) afirma que se for preciso vai pagar com recursos próprios as passagens do lobista Fernando Soares, o Baiano. Ele é uma das testemunhas de acusação contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Araújo diz que o pedido para a compra de passagens aéreas foi feito no dia 14 de abril, mas que não recebeu resposta da presidência. Como Cunha é parte no processo, o vice-presidente Waldir Maranhão (PP-MA), aliado do peemedebista, é responsável por responder ao pedido.

Caso não haja retorno até meio dia da véspera do depoimento, agendada para a próxima terça-feira (26), Araújo afirma que pagará pelo transporte do convidado, a fim de manter a oitiva.

Alguns deputados também cogitaram fazer uma 'vaquinha' para levar Baiano.

Cunha afirma que o Conselho da Câmara "não tem o hábito de pagar passagens de pessoas que são convidadas a depor em comissões", e que ele mesmo financiará as passagens dos convidados da defesa.

Para Cunha, testemunhas da Operação Lava Jato, como Baiano, "não têm nada a ver com o objeto da representação" e pagar pelo seu transporte seria "desperdiçar dinheiro público para fazer holofote".

Baiano teria participado de negociações envolvendo a remessa de recursos para Eduardo Cunha. Em delação premiada, o lobista disse no ano passado que Cunha pediu propina em forma de doação eleitoral para o PMDB.

O presidente da Câmara é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção e lavagem de dinheiro. No Conselho, ele é acusado de ter mentido na CPI da Petrobras sobre possuir contas no exterior.

Notícias relacionadas