menu

Rio Grande do Norte

07/03/2018


Robinson Faria disse que vai para a reeleição, revela líder do governo

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Dison Lisboa (PSD) admitiu que o governador Robinson Faria “tem dito repetidas vezes que vai para a reeleição” no pleito de 7 de outubro deste ano. “Naturalmente que isso depende de alguns fatores, como colocar a folha de pagamento dos servidores públicos em dia e melhorar e economia do Estado”, destacou o parlamentar, na manhã de ontem, por ocasião da entrega de 24 ambulâncias doadas pelo Poder Legislativo a municípios do Rio Grande do Norte.

O deputado Dison Lisboa afirmou que o governador “está consciente disso”, mas agora “permanece focado em melhorar esses números da economia do Estado e está fazendo um trabalho muito forte para atualizar a folha de pessoa até abril”.

Dison afirmou, como o próprio governador já havia declarado, que não se fala em renúncia ao cargo e Robinson Faria permanece no governo. Se há a possibilidade dele não disputar o governo novamente, “vejo ele muito mais inclinado em ser candidato à reeleição”, afirmou Dison.

Mesmo com o desgaste político do governador Robinson Faria, o líder do governo acredita na possibilidade do PSD agregar partidos aliados à campanha de reeleição do governador, “que para ser viabilizada precisa colocar a folha em dia”.

Muda todo o quadro político, avisa Dison Lisboa, “porque aonde a gente chega e quer falar de uma obra, as pessoas perguntam logo pelo salário”. Então, continuou Lisboa, “isso é uma cortina de fumaça que encobre todo o outro Rio Grande do Norte que existe”.

O deputado Dison Lisboa também avaliou a decisão do vice-governador Fábio Dantas, que está deixando o PC do B para se filiar ao PSB, de se afastar do  governo para tentar a eleição. “Fábio Dantas é um grande quadro político no Estado, tem de fato conhecimento profundo de gestão e é conhecedor dos problemas do Rio Grande do Norte, mas lamento porque que o desejo nosso é que estivesse todo mundo junto”.

No entanto, Lisboa diz que “vê como normal” o afastamento de Fábio Dantas do governo, “porque mesma coisa aconteceu com o  próprio governador atual”, quando era vice da atual prefeita de Mossoró, a ex-governadora Rosalba Ciarlini (2011/2014): “Pode acontecer isso, como está acontecendo com o vice Fábio Dantas, pois acho que todo mudo está buscando seus espaços, o que é natural dentro da política”.

Mesma coisa Lisboa diz em relação ao seu companheiro de bancada na Assembleia Legislativa, o deputado Carlos Augusto Maia, que está deixando o PSD para se filiar ao PC do B. “Também vejo como normal essa mudança, cada deputado procura a sua acomodação e Carlos Augusto está buscando a sua, como outros deputados vão procurar outros partido até 7 de abril”.

Na opinião do líder do governo, “é do sistema democrático” essas trocas de partidos que estão ocorrendo na Assembleia, onde o PSD, que tinha quatro deputados, está perdendo dois, porque o deputado estadual Jacó Jácome está deixando o partido para se filiar ao Podemos (ex-PTN), presidido no estado pelo pai, o deputado federal Antonio Jácome.

Lisboa disse que o  próprio Maia avisou para ele que não está deixando o PSD por causa do  episódio da votação do pacote fiscal em janeiro, na Assembleia Legislativa, quando ele se posicionou contra o  governo. “Carlos Augusto está saindo por uma questão particular, buscando melhor espaço para a sua reeleição, o que é normal dentro do parlamento nas eleições proporcionais”, analisou. Diante disso, Lisboa afirmou que o PSD também está trabalhando para atrair novos quadros: “Não posso revelar agora, mas estamos trabalhando nesse sentido”.

Tribuna do Norte

Notícias relacionadas