menu

Brasil

04/10/2013


Secretaria dos Portos deve continuar na cota dos irmãos Gomes

COBIÇADA

Não se sabe quanto tempo o economista Antonio Henrique, da Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE) do Ministério da Fazenda, ficará na Secretaria dos Portos. Ele foi indicado interinamente ontem para substituir o ministro dos Portos, Leonidas Cristino. Ele é integrante do PSB, partido que resolveu deixar o governo. Mas Cristino é da cota dos irmãos Cid e Ciro Gomes e sai para ser candidato nas próximas eleições. É cotado para disputar a sucessão de Cid Gomes no Ceará. Deve seguir os irmãos Gomes – rompidos com o PSB -, e ingressar no Pros, novo partido. A vaga na Secretaria já está ocupada por um interino, mas era – e continuará – sendo bastante cobiçada. A presidente Dilma havia sinalizado que manteria o posto na cota dos irmãos Gomes.

Eram cotados o atual secretário-geral Mario Lima e outros nomes próximos a Cid, como o secretário de Turismo do Ceará, Bismark Maia (PSD), e Rogério Menescal, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Portuário da Secretaria. O PT estava de olho na vaga. E as articulações com vistas a uma reforma ministerial no ministério no final do ano, já anunciada por Dilma, vão continuar. São propostas, entre outras alternativas, uma composição entre PT e PMDB no comando da Secretaria. Nessa aliança, o vice-presidente da República, Michel Temer, voltaria a ter influência no setor portuário. Lideranças dos dois partidos se movimentam com grande interesse por ser um cargo estratégico. Várias concessões e renovações de portos estão previstas para os próximos meses.

Devem ser feitas licitações para 52 terminais. Estão sendo encerrados contratos firmados antes de 1993, anteriores à nova lei dos portos. Foi aprovada na Câmara emenda que autorizava o governo a renová-los. Mas a presidente Dilma vetou a proposta e pretende fazer agora as licitações.

iG

Notícias relacionadas