Pernambuco

‘Nunca cometi um crime tão bárbaro’, diz depoimento sobre morte de Beatriz em Pernambuco

“Eu não vou mentir, não. Eu sou o criminoso que cometi aquele crime. Eu nunca cometi um crime na minha vida tão bárbaro igual a essa consequência que houve”. A declaração faz parte do depoimento à Polícia do suspeito de ter matado a facadas a menina Beatriz Angélica, em uma escola particular em Petrolina em 2015.

 

A Globo acessou trechos da confissão de Marcelo da Silva, de 40 anos. Ele confessou o crime para dois delegados da força-tarefa responsável pela investigação do caso, logo depois de o DNA contido na faca utilizada no assassinato da criança de 7 anos apontar que ele seria o assassino.

 

O depoimento foi dado em 11 de janeiro de 2022, no presídio de Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. Marcelo demonstrou medo de falar sobre o crime. “Em um caso desses aí, você sabe que, se a gente voltar pros presídios, a gente tá morto, né?”, disse.

 

A confissão do assassinato de Beatriz ocorreu após quase uma hora à frente dos delegados. Durante o depoimento, Marcelo chorou e disse que decidiu confessar porque muitas pessoas foram prejudicadas pelo ato dele. Ele também falou aos delegados que quer pedir perdão à mãe de Beatriz.

g1


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp