Internacional

Ocidente promove discriminação e tenta “cancelar” a Rússia, acusa Putin

“Tentam cancelar um país milenar inteiro, seu povo. A chamada cultura do cancelamento virou cancelamento da cultura”, disse o presidente russo

Sputnik – Vladimir Putin, presidente russo, afirmou que nos países ocidentais está progredindo uma discriminação contra tudo o que está relacionado com a Rússia, e que esse fenômeno de intolerância étnica é inimaginável em solo russo.

O presidente da Rússia criticou a imagem fornecida por Hollywood e a cultura de cancelamento em geral, acrescentando que esse fenômeno não começou “ontem”, e que vários países estão minando valores e normas aceitos desde tempos imemoriais.

“Em Hollywood, por exemplo, têm saído constantemente filmes, nos quais os únicos vencedores do nazismo se chamavam os Estados Unidos. Ao mesmo tempo, a coragem e heroísmo, a vitória do Exército Vermelho, que deu uma contribuição decisiva, basta simplesmente olhar para o número de unidades de batalha que combatiam na Frente Leste da Alemanha. Aqui está a contribuição decisiva do Exército Vermelho, que foi simplesmente cancelada”, lamentou Vladimir Putin.

“Hoje tentam cancelar um país milenar inteiro, seu povo. Estou falando do avanço da discriminação contra tudo o que é ligado à Rússia […] dessa tendência que está se desenvolvendo em vários Estados ocidentais, e com a total conivência, e às vezes encorajamento das elites governistas. A chamada cultura do cancelamento virou cancelamento da cultura”, disse na sexta-feira (25) o chefe de Estado em um evento de literatura e arte para crianças e jovens.

 Segundo ele, compositores como Pyotr Tchaikovsky, Dmitry Shostakovich e Sergei Rachmaninoff estão sendo retirados de cartazes, e que estão sendo proibidos escritores russos e suas obras. Putin observou que uma campanha massiva de destruição literária semelhante à atual aconteceu pela última vez na Alemanha há quase 90 anos, pelas mãos dos nazistas.

“É impossível imaginar tal coisa no nosso país, e estamos seguros disso muito graças à cultura nacional. Para nós ela é inseparável da pátria, da Rússia, onde não há lugar para a intolerância étnica, onde há séculos que vivem, trabalham, crescem crianças pertencentes a dezenas de nacionalidades e grupos étnicos”, sublinhou o alto responsável russo.

Além disso, apontou Putin, no Dia da Memória das vítimas dos bombardeios atômicos do Japão “ou eles omitem vergonhosamente” quem lançou a bomba, ou escrevem que isso foi feito por “aliados abstratos quaisquer”.

*Brasil247           


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp