Brasil

Odebrecht recupera na Suíça provas de propinas contra políticos

A Odebrecht garantiu ao Ministério Público Federal que vai entregar em breve seus arquivos digitais que provam o pagamento de propina a políticos e autoridades, recuperados num servidor reserva na Suíça. A apresentação das provas deve garantir o acordo de delação premiada na Lava Jato com a maior empreiteira do país, segundo reportagem de Jailton de Carvalho.

Os arquivos digitais pertenciam ao chamado Setor de Operações Estruturadas e foram apagados durante as investigações. No entanto, o depoimento do técnico de informática Camilo Gornati, responsável pela manutenção do programa de controle de pagamentos de propina, revelou a existência de um servidor reserva na Suíça que armazenava uma cópia de todos os detalhes de transações ilícitas. O sistema funcionou ativamente até o fim de maio de 2016.

Com os dados, a Odebrecht passa na frente da OAS na negociação, com provas contra políticos que ainda não tinham sido envolvidos no esquema até agora.

Dados do sistema “Drousys”, aos quais a força-tarefa teve acesso, revelaram que a Odebrecht mantinha pelo menos 42 contas no Caribe, que abasteceram 28 offshores com mais de US$ 132 milhões da empreiteira.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp