Política

Operação de combate à exploração sexual resgata 19 crianças e adolescentes na Paraíba

Dezenove crianças e adolescentes foram resgatados na Paraíba durante uma operação integrada para combater a exploração sexual infanto-juvenil, crime previsto no código penal e uma das piores formas de trabalho infantil. Seis pessoas foram presas. A ‘Operação Parador 27’ – deflagrada em todo o Brasil – aconteceu em 28 municípios paraibanos, entre 2 e 18 de maio, coordenada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), Polícias Civil e Militar, com a participação do Ministério Público do Trabalho (MPT), Conselhos Tutelares e Corpo de Bombeiros.

 

Na Paraíba, a ação foi encerrada na última quarta-feira, 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Paralela à operação, o MPT realizou em todo o País uma Campanha nas redes sociais, com a adesão voluntária de artistas, que postaram mensagens e vídeos, a exemplo de Ivete Sangalo, Preta Gil, Eliana, Tatá Werneck e do padre Fábio de Melo.

 

A ‘Operação Parador 27’ na Paraíba teve nos dias 3, 6, 13, 17 e 18 de maio ações mais intensas e concentradas nos municípios de Campina Grande, Guarabira e região, Patos e região, João Pessoa, Bayeux, Santa Rita, Alhandra e Conde. A operação envolveu ações integradas de investigação, prevenção, combate e fiscalização em bares, casas de prostituição e pontos mapeados de exploração sexual.

 

As ações foram coordenadas nacionalmente pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Também teve caráter educativo, chamando a atenção de toda a sociedade para o crime de exploração sexual de crianças e adolescentes, grave violação dos direitos humanos.

58 locais fiscalizados

 

Na Paraíba, a ‘Operação Parador 27’ identificou oito locais de exploração sexual de crianças e adolescentes, fiscalizou um total de 58 locais suspeitos, fez abordagem a 882 pessoas, bloqueios/blitz em 12 locais e fiscalização de 185 veículos. Os presos acusados de exploração sexual deverão responder pelo crime e para os donos de bares e casas de prostituição, poderão ter a licença de funcionamento do estabelecimento cassada.

 

A ação também fez o encaminhamento de 12 ocorrências aos Conselhos Tutelares. Além disso, foram apreendidos, nos locais fiscalizados, uma arma de fogo, três munições, 30 gramas de cocaína e 100 gramas de maconha.

 

“A Operação Parador 27 envolveu a Polícia Rodoviária Federal, que planejou, juntamente com a Polícia Civil, a Polícia Militar, os Bombeiros militares, os Conselhos Tutelares e o MPT. As equipes se dividiram e foram para diversas cidades”, informou a procuradora do Trabalho Edlene Lins Felizardo, coordenadora Regional da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente – Coordinfância/MPT.

 

“Na região de Guarabira e Alagoinha, encontramos adolescentes na faixa de 16 e 17 anos na situação de exploração sexual comercial. O Conselho Tutelar fez os devidos encaminhamentos. O estabelecimento foi fechado e a proprietária foi conduzida à delegacia”, acrescentou a procuradora Edlene

Lins Felizardo, que participou da operação na Região de Guarabira no último fim de semana.

 

A procuradora ressaltou que a prevenção à exploração sexual, umas das piores formas de trabalho infantil e grave violação dos direitos humanos, precisa contar com o apoio de toda a sociedade.

 

Em Campina Grande, participou da operação o procurador do Trabalho Marcos Almeida, entre os dias 3 e 4 deste mês. Nove crianças e adolescentes foram resgatados. Participaram da ação o chefe da Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Campina Grande, Vitor Sales e os delegados da Polícia Civil Pedro Ivo Soares Bezerra e Fernando Kleyton Fernandes de Andrade.

 

A ação na Paraíba teve a participação de 334 policiais e 87 viaturas, da Polícia Rodoviária Federal e das polícias Civil e Militar, com o apoio do Ministério Público do Trabalho (MPT), dos Conselhos Tutelares e do Corpo de Bombeiros do Estado.

Municípios

 

Na Paraíba, a ‘Operação Parador 27’ foi realizada em 28 municípios, entre eles, Campina Grande, Patos, Guarabira, Alagoinha, Solânea, Itabaiana, Sapé, Mamanguape, Alhandra, Conde, João Pessoa, Bayeux e Santa Rita. Não serão repassados mais detalhes sobre a operação e nome dos estabelecimentos fiscalizados devido ao trabalho de investigação.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp