Nordeste

Pernambuco: bares, restaurantes e academias devem reabrir em 20 de julho

A expectativa é que a reabertura aconteça no próximo dia 20, caso os números da saúde sigam com tendência de queda nos próximos dias

09/07/2020


Imagem meramente ilustrativa

Os bares, restaurantes e academias de Pernambuco seguem fechados. A expectativa, porém, é que a reabertura aconteça no próximo dia 20, caso os números da saúde sigam com tendência de queda nos próximos dias. O horário será reduzido para os serviços de alimentação, permanecendo fechados das 20h às 6h, além da capacidade de 50% do funcionamento. As medidas são válidas para a Região Metropolitana do Recife e Matas Norte e Sul.

No anúncio feito pelo governador Paulo Câmara (PSB) nesta quinta-feira (9), apenas o Agreste vai avançar mais duas etapas seguidas no plano de flexibilização das atividades econômicas, chegando à fase quatro. Isso significa que o comércio varejista, salões de beleza e estética, shoppings, 100% da construção civil e 50% do comércio de veículos, que inclui serviço de aluguel e vistoria, estão autorizados a reabrir na região a partir da próxima segunda-feira. O Polo de Confecções, no entanto, não está contemplado nesta etapa e segue funcionando apenas com delivery. Já o Sertão segue na mesma etapa.

Bares e restaurantes

Por enquanto, os bares e restaurantes continuam funcionando com sistema de delivery e retirada no local e a expectativa é que a reabertura aconteça no próximo dia 20 em Pernambuco. “Essas são atividades que trazem um pouco mais de risco para a saúde porque precisa tirar a máscara para se alimentar e existe uma interação maior. Mas estamos dialogando com a Abrasel-PE e vamos publicar os protocolos amanhã (sexta-feira) com os critérios para evitar que haja contaminação nesses estabelecimentos, como a volta com capacidade de 50% do funcionamento”, ressalta Bruno Schwambach, secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco.

Segundo o secretário, o plano de retomada das atividades econômicas leva em consideração os eixos e riscos que cada atividade traz para a saúde. “Também analisamos a relevância e importância econômica de cada uma. Estamos implantando o cronograma, anunciado no dia 1 de junho com 11 etapas, com sucesso. Sabemos que atividades como de bares e restaurantes precisam voltar para dar oportunidade de emprego e renda, mas temos que olhar os dados da saúde. Passamos por um pico alto, começamos a ter uma estabilização, depois uma descida. Na última semana a queda estacionou, então tivemos que postergar a entrada da etapa seis do plano de retomada”, explica.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.