Brasil

PF indicia 20 pessoas por esquema envolvendo avião de Eduardo Campos

A Polícia Federal indiciou 20 pessoas suspeitas pelos crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa e falsidade ideológica no âmbito da Operação Turbulência, deflagrada em junho desse ano.

A ação descobriu um esquema que liga empresas de fachada à compra do avião utilizado por Eduardo Campos (PSB) que caiu durante a campanha presidencial de 2014, matando o então candidato e outras seis pessoas em Santos, litoral paulista.

Na lista de indiciados há quatro empresários presos em junho – João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, Eduardo Freire Bezerra Leite, Apolo Santana Vieira e Arthur Roberto Lapa Rosal –, além de Paulo César de Barros Morato, que foi encontrado morto em um motel de Olinda dois dias após a operação.

O avião Cesna Citation, usado pelo ex-governador, foi o ponto de partida da investigação da PF. A operação investiga um suposto esquema de lavagem de dinheiro em Pernambuco e Goiás que teria movimentado mais de R$ 600 milhões desde 2010 e teria relação com campanhas eleitorais de Campos.

O PSB negou, em junho, que tenha ocorrido ato ilícito na campanha eleitoral do ex-governador de Pernambuco. No comunicado, o partido diz "ter plena confiança na conduta do nosso querido e saudoso Eduardo Campos, ex-presidente e ex-governador de Pernambuco".

Brasil 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp