Brasil

PF prende bolsonarista que diz que empresário vai “pagar pela cabeça” de Alexandre de Moraes

247 – A Polícia Federal cumpriu mais um mandado de prisão no inquérito que investiga a realização de atos antidemocráticos no dia 7 de setembro. O alvo foi o bolsonarista Márcio Giovani Nique, conhecido nas redes como “professor Marcinho”. A prisão é preventiva, ou seja, sem data para terminar, e foi cumprida em Santa Catarina. A informação é do jornal O Globo.

Em uma live feita em uma rede social há poucos dias, Márcio Nique afirmou que “um empresário grande está oferecendo uma grana federal que vai sair pela cabeça [do ministro do STF] Alexandre de Moraes, vivo ou morto”. Ele também afirmou que existe um agrupamento no Brasil e em outros países que irá caçar “ministro [do STF] onde quer que eles estejam”.

O pedido de prisão foi feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) e determinado pelo ministro Alexandre de Moares, que está à frente do caso no Supremo.

VITIMA –  Às vésperas do 7 de setembro, o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, que tem fechado o cerco contra defensores do golpe na internet, tem sido vítima, assim como sua família, de ameaças da base bolsonarista.

Desta vez, um homem em uma live no TikTok diz que um empresário paga “pela cabeça de Moraes”. “A partir de hoje, nós temos um grupamento no Brasil que vai caçar ministro [do STF] aonde quer que eles estejam”, diz um homem identificado como Márcio Giovani Nique ou “professor Marcinho” na rede social, segundo <span;>reportagem do Poder360<span;>.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp