Nordeste

Piauí adotará sistema de avaliação de segurança orgânica em penitenciárias

Representantes da equipe técnica da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI), secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública do Estado estiveram reunidos nesta sexta-feira (08), com um dos desenvolvedores da metodologia de Análise de Riscos em Segurança Orgânica (ARSO), o professor e agente da Polícia Federal, Felipe Scarpelli, para apresentação de uma plataforma  inspirada nesta lógica que vai avaliar fatores de vulnerabilidade que uma unidade penitenciária do estado possa ter.

 

A ATI é responsável pelo desenvolvimento da solução tecnológica em parceria com a superintendência do Sistema de Gestão de Riscos (Sugris), responsável pelos aspectos conceituais e categorias analíticas que fazem parte do sistema.

 

A Ferramenta tecnológica foi desenvolvida pela ATI em parceria com a Sugris

 

“Essa solução inteligente nos dará a possibilidade de avalição sobre os fatores de vulnerabilidade para que seja um trabalho que possam evitar fuga,  rebeliões, motins, desastres, entre outros eventos indesejados. Olhamos para o passado para imaginarmos cenários futuros e que a gente utilize ferramentas para impedir ou mitigar riscos”, explica a superintendente da Sugris, delegada Eugênia Villa.

O lançamento do Sistema ARSO está previsto para o dia 18 de outubro. De acordo ainda com a superintendente, o desenvolvedor da metodologia aprovou a iniciativa e recomendou a replicação da ferramenta tecnológica em todo país. “Além de aprovar a solução tecnológica, o professor Felipe Scarpelli sugeriu também que essa ferramenta fosse apresentada no Ministério da Justiça”, disse Villa.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp