Maranhão

PM é presa por recusar extrapolar horário para poder amamentar, no Maranhão

Tatiane Alves, soldada da Polícia Militar do Maranhão, revelou em entrevista que foi presa no quartel da PM no dia 5 de setembro por se recusar a extrapolar o horário de serviço. Alves tem um filho de 2 anos e meio e precisava amamentá-lo no horário.

 

“Ele afirmou que não seria possível a minha liberação, pois todos os outros policiais iriam permanecer até o término do evento. Novamente expliquei para ele que eu não tinha condições físicas de permanecer e ele falou que se eu não continuasse seria presa por desobediência. Expliquei mais uma vez e ele não quis entender a minha situação. Eu tinha que alimentar meu filho e se continuasse poderia desmaiar”, contou Tatiane à TV Difusora.

 

A agente ficou 24h detida no Presídio da PM em razão da recusa. Após o episódio, ela foi remanejada da segurança do Centro Histórico de São Luís para a Patrulha Maria da Penha. A policial, no entanto, não iniciou os trabalhos porque precisou iniciar tratamento psicológico.

 

“Essa não foi a primeira vez, já houve outras situações, mas dessa vez eu resolvi abrir para a sociedade entender um pouco o que a gente, da Polícia Militar, passa dentro dos portões”, declarou à jornalista Rosangela Bion de Assis no Portal Desacato.

 

Segundo Tatiane, o episódio se deu durante uma operação no aniversário de São Luís. “Nesse dia eu estava escalada das 14h às 20h. Durante todo o policiamento, não tivemos nenhum tipo de alimentação, apenas água. Quando deu por volta de 20h05, findando horário de serviço, ficamos sabendo que o serviço seria estendido até o fim do evento que não sabíamos o horário”, disse ao portal.

Fórum


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp