Alagoas

Polícia desarticula organização criminosa e prende três membros do PCC

O secretário de Segurança Pública (SSP/AL), coronel Lima Júnior, apresentou, na manhã desta quinta-feira (28), 16 presos pertencentes a uma organização criminosa composta por quase 30 pessoas que foi desbaratada na madrugada de hoje. De acordo com o secretário, o bando era liderado por três homens que possuem ligação direta com o Primeiro Comando da Capital (PCC) e cometiam crimes em Maceió e Rio Largo.

A operação continua em andamento e visa cumprir 35 mandados de prisão expedidos pelas 15ª e 17ª Vara Criminal. Até a realização da entrevista coletiva, 18 pessoas haviam sido presas e 16 delas foram apresentadas na sede da Secretaria de Segurança Pública, todas acusadas de envolvimento em crimes de homicídio roubo, estelionato e tráfico de drogas. A ação contou com a participação de mais de 100 homens da Polícia Militar e Civil.

De acordo com as investigações levantadas pelo delegado Gustavo Henrique Barros, da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico (DRN), o bando era organizado em torno da liderança de Rafael Costa Sampaio, o “Oakley”, que teria ligações com o PCC, junto a Paulo Sartorelli de Oliveira, o “Alemão” e Leandro de Almeida Lima, o “Ciclone”. Todos os três foram treinados por homens do PCC para atuar em Alagoas. “A mando de Rafael, cada um dos citados comandava uma região [Maceió e Rio Largo]”, disse o delegado. Contra o bando, até o momento, pesa um homicídio cometido no bairro São Jorge, no mês passado.

Três revólveres calibre 38 foram apreendidos até o momento, além de uma vasta quantidade de drogas que a polícia não soube precisar. “Essa quadrilha era extremamente violenta, mas conseguimos desarticular”, comemora o major Marlon Araújo, do Batalhão de Polícia Escolar (BEPEsc).

Mortes

Três pessoas morreram durante o cumprimento dos mandados. O primeiro, já noticiado pelo Alagoas24horas, é José Gilson dos Santos, o Gladiador, que teria reagido à abordagem no conjunto Virgem dos Pobres, no Vergel. Outros dois casos ocorreram no São Jorge: Rafael Henrique da Silva, que já foi preso por porte ilegal de arma, receptação de homicídio; por último um rapaz identificado apenas como Jardiel, vulgo “anjo” ou “Jal”.

Alagoas 24h


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp