Maranhão

Prédio da Casa do Maranhão começa a ser restaurado

A unidade do Centro de Referência em Economia Solidaria do Maranhão (Cresol), em São Luís, vai funcionar no prédio da Casa do Maranhão, que o Governo do Estado, por meio da Secretária da Cultura (Secma), está restaurando. As obras estarão concluídas no fim deste mês ou em dezembro.

 

O Cresol, instituição vinculada à Secretaria de Estado do Trabalho e da Economia Solidária (Setres), promove a gestão compartilhada da economia solidária no Maranhão com atividades como a comercialização de artigos produzidos por esse setor. A unidade de São Luís foi a primeira a funcionar e outras unidades estão sendo instaladas no interior do estado.

 

A Casa do Maranhão é um centro cultural da Secma, que está instalado em um dos mais belos e imponentes prédios do Centro Histórico de São Luís, estrategicamente localizado em uma quadra entre a Rua Portugal (no trecho da Rua Portugal também conhecido como Rua do Trapiche) e a área do Anel Viário próxima da Rampa Campos Melo.

 

“O governador Flávio Dino criou o Cresol, em 2018, atendendo a uma demanda popular e, hoje, uma unidade desse projeto, já consolidado, estará no prédio restaurado da Casa do Maranhão, somando com a determinação do governador, via Programa Nosso Centro, de fazer do Centro Histórico de São Luís um espaço de pertencimento de todos os maranhenses, da capital e do interior, aberto para receber bem os visitantes de outro estados e do mundo”, afirmou o secretário de Estado da Cultura (Secma) e coordenador do Programa Nosso Centro, Anderson Lindoso.

 

Os serviços no prédio histórico da Casa do Maranhão, onde já funcionou a Alfândega, desde 1873, incluem instalação de novos sistemas elétrico e hidráulico, revitalização da cobertura, pintura em toda a fachada e manutenção do piso.

 

O secretário de Estado do Trabalho e da Economia Solidária, Jowberth Alves, ressaltou a importância de uma unidade do Cresol em um local estratégico do Centro Histórico de São Luís. “É uma experiência bem-sucedida, enquanto política de incentivo ao setor e, com sua unidade na Casa do Maranhão, consolida sua atuação em defesa do desenvolvimento da economia solidária, fortalecendo o turismo e a geração de renda no Centro Histórico de São Luís”, ressaltou.

Casa do Maranhão

 

A Casa do Maranhão é um espaço museológico e um dos atrativos turísticos mais visitados no Centro Histórico de São Luís. As maiores atrações são o imóvel, que proporciona um visual privilegiado no Rio Bacanga e Baia de São Marcos e as exposições permanentes de festas da cultura popular do estado como o bumba meu boi, festa do Divino, tambor de crioula e o carnaval, com ênfase nos blocos tradicionais e figuras do carnaval de rua como o fofão.

Diretor da Casa do Maranhão, Iguatemy Carvalho, anuncia a criação do Espaço das Artes na Casa do Maranhão. (Foto: Divulgação) 

Diretor da Casa do Maranhão, Iguatemy Carvalho, anuncia a criação do Espaço das Artes na Casa do Maranhão. (Foto: Divulgação)

 

O diretor da Casa do Maranhão, Iguatemy Carvalho, informa que, com a restauração do imóvel, está sendo criado o Espaço das Artes do Maranhão, que estará voltado para exposições temporárias, lançamentos de livros, e outras atividades culturais. A inauguração será com a exposição Cazumba Mundi, do artista visual, cantor e compositor Beto Pereira.

 

O cuidado é para que a Casa do Maranhão, depois de um período parado por causa da pandemia da Covid-19 e as obras, mantenha o mesmo pique do ano de 2019, quando recebeu cerca de 90 mil visitações, incluindo turistas e participantes de atividades artísticas.

 

“Tudo está sendo criteriosamente pensado para que a Casa do Maranhão retome suas atividades como casa de cultura aberta para a interação entre a diversidade cultural do Maranhão, nossos artistas e as pessoas que vistam o nosso estado”, explicou Iguatemy Carvalho.

Cresol

 

O Cresol foi instituído pelo governador Flávio Dino, por meio do Decreto nº 34230, de 18 de junho de 2018. É um espaço de gestão compartilha, gerenciado por comitê gestor formado por representantes de empreendimentos solidários, entidades de apoio e fomento desse setor e por órgãos públicos. É vinculado à Setres.

 

Segundo a Setres, depois da unidade de São Luís, o Cresol está em expansão pelo interior do estado. Bacabal foi o segundo município a receber uma unidade inaugurada em julho deste ano. O equipamento público fortalece a política de economia solidária e geração de renda a empreendimentos da região do Médio Mearim.  No município de Axixá, a terceira unidade será inaugurada este ano. Toda Região do Munim será beneficiada e vai gerar renda também para os trabalhadores e trabalhadoras da agricultura familiar.

 

A criação do Cresol atende uma demanda popular resultante de Escutas Territoriais do Orçamento Participativo, ação promovida pelo Governo do Estado e por convênio firmado entre o Estado do Maranhão, por meio da Setres, e o Governo Federal, com o então Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Secretaria Nacional de Economia Solidária.

Coordenadora do Cresol, Luiza Mendes, informa que os projetos são voltados para o fortalecimento da economia solidária. (Foto: Divulgação)

Coordenadora do Cresol, Luiza Mendes, informa que os projetos são voltados para o fortalecimento da economia solidária. (Foto: Divulgação)

 

O Cresol oferece estratégias de fomento, consolidação, assessoria e articulação aos empreendimentos econômicos solidários, entre os quais ações de formação, assessoria técnica, divulgação, comercialização, crédito, expressão cultural e articulação social e política do movimento de economia solidária.

 

A assistente social Maria Luiza Mendes, da coordenação do Cresol em São Luís, que fica na Rua de Nazaré, 173, no Centro Histórico de São Luís, explica que os projetos da instituição são voltados ao fortalecimento da economia solidária. “São promovidas atividades de formação, com a promoção de cursos, trocas de experiências, incentivo a regularização dos arranjos da economia solidária e acompanhamento das ações em campo”.

 

O Cresol de São Luís promover a comercialização de produtos da economia solidária, como roupas, produtos artesanais, produtos provenientes das atividades extrativistas, como azeite, óleos e sabão de babaçu e de andiroba. Organiza, toda terça e quinta-feira, uma feirinha de venda de frutas e hortaliças da economia solidária e faz a Quarta Cultural quando acontece interação com artistas com a realização de debates sobre economia solidária com o setor artístico acontece a apresentação de poesia, música e cordel.

 

As atividades foram interrompidas, por causa da pandemia da Covid-19, e estão sendo retomadas, gradativamente. A proposta é que tudo esteja plenamente funcionando na Casa do Maranhão, incluindo um restaurante para refeições, durante o almoço, com a oferta de um cardápio preparado com base na culinária da economia solidária. A comemoração do Dia Nacional da Economia Solidária, 15 de dezembro, será na nova sede da instituição, na Casa do Maranhão, com a abertura da Semana da Economia Solidária no dia 14 de dezembro.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp