Nordeste

Privada, Mataripe vende gasolina 38 centavos mais caro do que nas refinarias da Petrobras

A gasolina na Refinaria de Mataripe, antiga Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, teve o sexto aumento do ano no último sábado, 26, de 3,7%, subindo para R$ 4,24. O litro é vendido por 38 centavos a mais do que nas refinarias da Petrobrás. O levantamento é do Observatório Social da Petrobrás, baseado em informações da Acelen, gestora da Refinaria de Mataripe, da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e da Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis).

 

O valor também ultrapassa em 28 centavos o PPI (Preço de Paridade de Importação) do Porto de Aratu (BA) — a referência para a importação de combustíveis na região.

 

O reajuste do diesel S-10 foi ainda maior, de 12,5%. O litro saltou para R$ 5,07, uma diferença de 56 centavos acima do preço da estatal e 40 centavos mais caro que o PPI de Aratu.

 

O cenário de preços elevados dos combustíveis no país deve permanecer, de acordo com o economista do Observatório e do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais (Ibeps), Eric Gil Dantas. Ainda mais com a troca do presidente da Petrobrás.

 

“Indicado ao cargo pelo presidente Jair Bolsonaro, o economista Adriano Pires é muito próximo do setor privado de petróleo, gás e combustíveis. Isso nos leva a crer que as demandas dessas empresas, como o alinhamento mais fiel ao PPI (Preço de Paridade de Importação), por exemplo, ganhem mais força, gerando novos reajustes”, afirma.

com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp