Brasil

Queiroga diz que gesto obsceno para manifestantes ‘é da natureza humana’

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que retornou ao Brasil após 12 dias em um hotel em Nova York cumprindo quarentena por ter sido diagnosticado com Covid-19, foi questionado por repórteres sobre o gesto obsceno feito a manifestantes contrários ao governo.

 

Queiroga justificou dizendo que “é da natureza humana existirem falhas”. “Naturalmente que nós somos humanos, e é da natureza humana existirem falhas. Tem até aquela parábola clássica da Bíblia, que Jesus fez um risco no chão e disse: ‘Aqui, quem não tiver pecado, atire a primeira pedra'”, afirmou o ministro na chegada ao ministério da Saúde. “Então vamos continuar trabalhando pelo Brasil, para ajudar o nosso país a sair dessa crise sanitária”, acrescentou.

 

Na segunda-feira, o ministro da Saúde se recusou a dizer quais medicamentos tomou nos Estados Unidos, alegando “foro íntimo”. Queiroga foi questionado diretamente por jornalistas que o aguardavam em frente ao Ministério da Saúde em Brasília se tomou hidroxicloroquina, mas não respondeu.

PUBLICIDADE

.

 

“Essa questão é privativa minha, o tratamento que eu fiz. Eu tomei o medicamento prescrito pelo meu médico, lá dos Estados Unidos”, disse Queiroga, diante das insistentes indagações sobre que remédio tomou nos EUA.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp