Internacional

Reflexos no Brasil: vitória de Gustavo Petro na Colômbia aponta tendência na América do Sul e no Pais, depois da Argentina, Chile e Bolívia

A América do Sul, melhor e mais ainda, toda a América Latina se sente impactada com resultados das últimas eleições na Bolívia, antes Chile, Argentina, etc, só que neste domingo de Junho de 2022 teve a vitória da esquerda na Colômbia com uma simbologia: o novo primeiro presidente colombiano é de Esquerda.

 

Antes de maior aprofundamento sobre o significado destas eleições na Colômbia e que intuem mesmo efeito e resultado no Brasil com a perspectiva real de vitória de Lula, vamos combinar que a ascensão da Esquerda real na América do Sul está há muitos quilômetros de distância do que significaria o comando político do temido comunismo.

Na prática real, em nenhum desses países essa hipótese comunista se apresenta como perigo real, sobretudo porque significa objetivamente apontamento e reacomodação sócio-econômica longe do famoso capitalismo selvagem. E isto não tem nada a ver com comunismo.

REAÇÃO POPULAR AO RETROCESSO

 

Todos os países sul-americanos nesses casos têm resultados eleitorais adversos aos governos de Direita por conviverem com reações populares permanentes gerando inflação, aumento do custo de vida, desemprego, pessoas morando nas ruas, desmantelamento de políticas sociais, etc, ampliando o grau de pobreza , convivendo ao final com cenários comuns.

 

O BRASIL COMO FUTURO REAL

 

O resultado da Colômbia neste domingo constrói especulações e projeções no sentido de apontar o Brasil diante da disputa entre Lula e Bolsonaro como novo país a registrar a ascensão progressista, mesmo com a articulação da Direita e a Extrema Direita.
<span;>No país, o fato é que há situação sócio econômica de retrocessos nunca vistos com dados negativos iguais aos anos de 90.

 

A dados de junho, a perspectiva real de Lula sair vitorioso nas eleições de 2 de outubro é muito plausível, segundo a maioria das pesquisas eleitorais.

 

FATO IMPORTANTE 

Há informações comprovadas, via Carol pires de que a Colômbia é o país com mais ativistas ambientais assassinados no mundo, mesmo assim elegeu neste domingo a ativista ambiental Francia Márquez sua primeira vice-presidente negra.

Os dados comprovam: Francia é ativista ambiental desde os 13 anos, foi mãe aos 16, trabalhou como empregada doméstica, e passou a campanha presidencial sendo ameaçada de morte. Seu chamado “Soy Porque Somos”, da filosofia Ubuntu também era usado pela Marielle – “Eu sou porque nós somos”. A Francia, hoje, é a Marielle viva. É o Dom e o Bruno vivos. É um pouquinho de alívio pra uma dor filha da puta.

 

Ao lado de Gustavo Preto, ela assumirá o primeiro governo de esquerda da história da Colômbia. Derrotaram um populista de direita, diz Carol Pires.

 

ÚLTIMA

“Apesar de Você/ amanhã há de ser/ outro dia”


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp