Nordeste

Revista NORDESTE: Novos modelos de negócios no ramo da hotelaria mudam conceitos e incrementam a economia regional

A Revista NORDESTE vem ao longo dos anos se tornando leitura obrigatória para quem busca estar antenado com o desenvolvimento econômico dos nove estados nordestinos. Na atual edição do periódico, de nº 177, que já está disponível ao leitor, é publicada matéria especial sobre a expansão turística regional e no País, com destaque para a geração de negócios.

Em destaque, a abordagem sobre a chegada de novos modelos de investimentos turísticos na Região Nordeste, a exemplo do Residence Club At The Hard Rock Hotel Fortaleza, que está em construção na praia de Lagoinha, a cerca de 120 quilômetros da capital cearense; e do Motto By Hilton Recife, um empreendimento da Rede Hilton, de R$ 30 milhões, que será construído no Bairro do Recife.

A edição de nº 177 da Revista NORDESTE já está disponível para leitura gratuita no Portal da própria Revista NORDESTE e aqui no Portal WSCOM. Para ler, basta clicar no link com a imagem da capa que fica localizado na parte inferior das duas páginas principais, ou, se preferir, basta clicar AQUI e acessar.

Leia a matéria na íntegra, CLICANDO AQUI.

Ou, se preferir, leia abaixo:

NOVOS MODELOS DE NEGÓCIOS CHEGANDO À HOTELARIA DO NORDESTE

Modelo de investimentos no universo turístico começa a mudar conceitos

Por Etiene Ramos

O sonho de ser proprietário de um hotel de luxo está ficando mais perto para muita gente. O tamanho da propriedade vai depender do bolso do sonhador, mas alguns investidores já podem começar a adquirir uma parte de uma unidade do Residence Club at the Hard Rock Hotel Fortaleza, que está em construção na praia de Lagoinha, a cerca de 120 quilômetros da capital cearense, e terá sua primeira etapa entregue no próximo ano.

Com 535 unidades, entre apartamentos e casas à beira-mar, ele será o primeiro hotel da bandeira Hard Rock no Brasil e um dos três que virão para o Nordeste – os outros serão próximos ao Recife e a Natal, capitais de Pernambuco e do Rio Grande do Norte. Os terrenos já foram adquiridos, mas os locais exatos, por estratégia, ainda não foram revelados pela VCI S.A, incorporadora da marca no país.

O Hard Rock Hotel chega trazendo o modelo de multipropriedade, onde uma unidade do hotel pode ser comprada por até 26 donos, cada um recebendo escritura da sua parte – um formato de investimento imobiliário que permite a venda do imóvel por frações e foi regulamentada por lei no Brasil, em 2018.

A multipropriedade é mais uma das possibilidades que emergem da economia compartilhada, onde ser dono é menos importante do que poder vivenciar experiências e oportunidades. Na operação da Hard Rock Hotel, cada proprietário pode usar o imóvel durante duas semanas por ano, ou, se preferir, agendar o período em um dos 4.300 hotéis da bandeira espalhados pelo mundo, pagando apenas a diferença de valor de hospedagem entre as unidades, caso exista. Outra opção é deixar o tempo a que tem direito à disposição do pool de administração do hotel para aluguel.

No caso do Ceará, o investimento tem mostrado uma rentabilidade bem acima do mercado. “No lançamento do Residence Club at the Hard Rock Hotel Fortaleza, em 2018, uma fração no padrão Deluxe Room Master custava R$37,9 mil e hoje a mesma fração já é vendida a partir de R$85 mil – uma valorização de 119%”, calcula o head de Relacionamento e Business da VCI SA, Enio Miranda. Ele explica que os proprietários podem ter mais de uma fração e vender a quem quiser, inclusive a própria VCI que também negocia as frações com parceiros comerciais, franqueados e promotores.

Life Style à americana e à pernambucana

No Ceará, o life style da Hard Rock Hotel é para os apaixonados pelo que há de melhor no rock in roll, que toca até debaixo d’água nas piscinas com som subaquático da rede, e estará em detalhes da decoração como uma guitarra que foi do Bon Jovi e uma bateria do Guns N’ Roses. Mas, fora o bom som, nada vai lembrar Woodstock e sim os resorts de luxo, com direito à moradias inspiradas nas townhouses dos Estados Unidos e mansões à beira-mar.

O complexo da praia de Lagoinha terá mais de 180 mil m2 de área, cerca de 700 metros de frente “pé na areia”. e até um estúdio de gravação e uma grande arena de shows. Além de cinco restaurantes com marcas exclusivas, quadras esportivas, lounges com bares, lojas da Rock Shop, Rock Spa, área para kids e teens (Roxity Kids Club) e heliponto homologado para agilizar o traslado do aeroporto de Fortaleza.

Mas, se a cultura pop americana vem para o Ceará, no Recife, a requintada rede Hilton está chegando ao Nordeste com a proposta de se integrar ao universo local. É o que prometem os investidores do Motto By Hilton Recife, um empreendimento de R$ 30 milhões que será construído no Bairro do Recife, onde a cidade surgiu a partir do porto marítimo que convive hoje com o Porto Digital, o parque tecnológico das startups, ponto de convergência de empresas locais e do resto do mundo.

A Motto by Hilton é uma bandeira da marca Hilton para locais exatamente como o Bairro do Recife, com um centro histórico vivo e integrado ao desenvolvimento urbano. “Ela valoriza o lifestyle e incentiva a convivência dos hóspedes com a cidade. Ao mesmo tempo disponibiliza tecnologia de ponta e o padrão de qualidade da rede, só que em unidades compactas, com design relacionado à cultura e aos atrativos locais”, explica Danilo Canuto, CEO da Revpar Participações que lançou o hotel junto com a MUV Empreendimentos.

A identidade pernambucana deve ficar mais presente com o sabor da Ekaut, a cerveja pernambucana que vai estar no bar e no Rooftop do hotel com estações automatizadas. Vale lembrar que a cervejaria Ekaut traz no nome uma alusão ao pintor holandês Albert Eckhout, que veio na comitiva do Conde Maurício de Nassau para retratar o Novo Mundo durante a ocupação holandesa. Já com o rótulo do Motto By Hilton Recife pronto, a Ekaut traduz a fusão dos conceitos de inovação e preservação das raízes históricas e culturais que ecoam no Recife.

No cenário de rio e mar, casarões seculares, museus e a diversidade típica da região mais central da capital, o Motto By Hilton Recife terá 132 apartamentos e deve atender a turistas que buscam experiências em viagens de férias ou que virão a negócios, sem abrir mão de um lugar aprazível e singular.

Ele chega também com um modelo inovador de investimento. Anunciado no final de junho, o hotel será construído no regime de condo-hotel, que cria um condomínio para uso exclusivo como hotel e, em setembro, foi protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), autarquia do Ministério da Economia que fiscaliza, normatiza e disciplina o mercado de valores mobiliários no Brasil.

A iniciativa visa oferecer mais transparência e segurança aos investidores, os futuros condôminos que irão investir no projeto. Em troca, eles recebem sua unidade, com escritura individual, mas não para uso próprio e sim com cessão exclusiva para operação hoteleira. O resultado da receita do hotel, baseada também na exploração comercial das áreas comuns como rooftop e café-boutique, será compartilhado entre os proprietários, depois do desconto das despesas.

“Nós somos pioneiros, no Nordeste, no lançamento deste modelo de negócio lastreado no imóvel, com autorização da CVM. Vamos atender todas as exigências da Comissão, que englobam cálculos de taxa de retorno e rentabilidade média, além de informações de mercado para os investidores tomarem uma decisão embasada, com o aval da CVM”, afirma Canuto.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp