BRASIL

SBAU participa no Instituto Biológico de São Paulo do I Fórum Paulista de Arborização Urbana reunindo mais de 308 participantes

O I FORUM PAULISTA DE ARBORIZAÇÃO URBANA aconteceu nos dias 26 e 27 de outubro no Instituto Biológico em São Paulo e é uma promoção e realização da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana (SBAU),  Unidade Laboratorial de Referência em Pragas Urbanas do Instituto  Biológico de São Paulo da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento e  Unifesp – Universidade Federal de São Paulo que teve como tema  central  Florestas Urbanas para um Futuro Sustentável.

 

 

O Fórum recebeu mais de 308 inscrições, sendo 91% delas de profissionais e contou com a participação de servidores de 38 prefeituras do Estado de São Paulo.

 

O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA AGRONÔMICA (CONFEA), CONSELHOS REGIONAIS DE ENGENHARIA AGRONÔMICA (CREA), CAIXA DE ASSISTÊNCIA AOS PROFISSIONAIS DO CREA (MUTUA SP), Engemaia, Florestana, Potenza Engenharia, Maxi Bag –  sistemas de cultivos, BEDOUKIAN, Arboriza, Pd Instrumentos e Viveiros Tress apoiaram o Fórum e estiveram presentes apresentando as suas tecnologias e produtos.

 

Foram mais de 25 palestras sobre o tema com especialistas renomados de todo país.

 

O presidente da Sociedade de Arborização Urbana (SBAU), o  Dr. Sérgio Chaves, esteve no Fórum e em sua fala na sessão de abertura ressaltou a importância da realização deste evento na Cidade de São Paulo que é uma grande referência no seguimento de Arborização Urbana, concluindo que encerrou com chave de ouro os eventos da SBAU ano 2023.

 

A coordenação do primeiro Fórum Paulista de Arborização Urbana é do pesquisador científico o Dr. Francisco Zorzenon e da Professora Dra. Aline Cavalari.

 

Zorzenon é Diretor da Unidade Laboratorial de Referencia em Pragas Urbanas do Instituto Biológico, pertencente a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e a Dra. Aline é professora da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

 

 

Sobre o Instituto Biológico 

 

O Instituto Biológico (IB), criado em 26 de dezembro de 1927, sempre esteve à frente na solução de problemas sanitários da agropecuária paulista e brasileira.  Desenvolve um grande número de programas de pesquisa, muitos deles em parceria com entidades nacionais e internacionais, para atender ao setor produtivo em suas diversas áreas de atuação. Realiza análises para certificação de animais e seus produtos, com a finalidade de movimentação e exportação de animais. Oferece, ainda, 350 tipos de exames, realizando em média 500 diagnósticos por dia. Para atender à demanda do mercado interno e externo, o IB conta com quatro unidades laboratoriais acreditadas pelo CGcre/Inmetro (Coordenação Geral de Acreditação/Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia) e na norma internacional NBR ISO 17025 e credenciadas pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento): Laboratório de Resíduos e Pesticidas (CRL 382), Centro Avançado de Pesquisa Avícola (CRL 653), Centro de Pesquisa de Sanidade Animal e Vegetal (CRL 957) e Laboratório Especializado em Sanidade Avícola (CRL 1057), localizadas respectivamente em São Paulo, Descalvado, São Paulo e Bastos. Essas unidades realizam ensaios para diagnósticos de saúde animal e vegetal e contaminação de resíduos e pesticidas em alimentos e bebidas.

 

O IB participa do Programa Nacional de Controle da Raiva dos Herbívoros (PNCRH) e Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT), Programa Nacional de Sanidade dos Equídeos (PNSE), Programa Nacional de Sanidade de Caprinos e Ovinos (PNSCO) e Programa Nacional de Sanidade dos Suídeos (PNSS). Também participa de campanhas sanitárias contra o cancro cítrico e a clorose variegada dos citros.

 

Colabora com o Programa Nacional de Combate à Febre Aftosa há mais de 30 anos, realizando diagnóstico diferencial de doenças vesiculares em apoio às ações de vigilância passiva e ativa de febre aftosa.

 

 

Por Elaine Abramides, para o Canal Cuesta Interativo


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp