Ceará

Secretaria da Cultura do Ceará suspende eventos presenciais em equipamentos públicos

Suspensão vale para os eventos programados para janeiro. Alta nos casos de Influenza A e Covid-19 levou a pasta a tomar a decisão.

 

A Secretaria da Cultura do Ceará (Secult) suspendeu todos os eventos culturais públicos e presenciais que estavam marcados para ocorrer em janeiro em decorrência do avanço dos casos de Covid-19 e Influenza A no estado.

 

O comunicado foi publicado na manhã desta sexta-feira (7) e será reavaliado no fim do mês de janeiro a partir das determinações do Comitê Estadual de Enfrentamento da Pandemia.

 “A Secretaria da Cultura do Estado do Ceará anuncia a suspensão das programações culturais presenciais durante o mês de janeiro em sua Rede Pública de Equipamentos, em consonância com as medidas preventivas do novo decreto que entrou em vigor nesta quinta-feira (6/1) em todo Ceará e que limita a capacidade de público em eventos festivos em espaços públicos”, escreveu no documento.

 

Conforme a Secult, durante o mês de janeiro, “prevalecerá uma programação cultural on-line com transmissão nos canais e plataformas digitais dos equipamentos”. Mais detalhes sobre o funcionamento da rede pública de equipamentos serão fornecidos nas próximas semanas.

 

Eventos de pré e carnaval suspensos

 

O governador Camilo Santana suspendeu todos os eventos de pré-carnaval e carnaval em espaços públicos no Ceará por um mês. Já os outros eventos festivos e sociais, como casamentos e formaturas, tiveram capacidade de público reduzida também por 30 dias. As novas regras passaram a valer nesta quinta-feira (6).

A capacidade de público atualmente é de 250 pessoas em ambientes fechados para eventos festivos, sociais e corporativos e 500 em ambientes abertos. A decisão reduz em dez vezes a atual capacidade permitida no estado, que é de 2.500 pessoas em locai fechado e 5.000 em locais abertos.

 

Ômicron predominante

Na atualização do decreto, o governador comentou que as medidas acontecem por conta do atual cenário epidemiológico do estado, que enfrenta a propagação da variante ômicron do coronavírus e da influenza A H3N2.

 

“Já tem uma sinalização que a ômicron é a variante predominante aqui no estado do Ceará; é uma variante, os estudos científicos mostram, que tem alta capacidade de disseminação, é muito rápida e, aqui, somada a questão da ômicron, nós estamos tendo uma síndrome respiratória muito forte no mês de janeiro, que é atípica”, explicou o governador.

 

Camilo antecipou a reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Pandemia de Covid-19 em dois dias, para esta quarta, por causa do aumento de casos confirmados de Covid-19 e influenza no Ceará. Ele já havia sinalizado mudanças no decreto de isolamento social, especialmente, para maior restrição na realização de eventos festivos.

Além disso, o número de atendimentos por síndrome gripal nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) subiu mais de 1000% no mês de dezembro, em comparação com o mês de novembro. Segundo dados do IntegraSUS, o índice de atendimentos por gripe saiu de 415 pacientes atendidos para 4.890. Já por Covid-19, o aumento foi de 787 para 1.252.

g1ce


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp