Brasil

Temer diz que ataques de Bolsonaro aos Poderes são ‘coisa do passado’

O ex-presidente Michel Temer (MDB) afirmou que acredita que os ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aos demais Poderes ficaram no passado após a nota de recuo assinada pelo presidente.

 

“Aquelas frases do tipo ‘não vou cumprir decisão judicial’, eu acho que a partir de hoje [9 de setembro], pelo menos tive muito fortemente essa sensação na conversa muito objetiva que o presidente Bolsonaro teve comigo, eu sinto que isto é coisa do passado. Quando se diz, ‘olha, vamos contar o tempo a partir daqui’, é porque ele vai pautar-se por esse documento, por essa declaração que lançou no dia de hoje”, afirmou Temer à emissora CNN Brasil.

 

Bolsonaro recebeu o ex-presidente para um almoço no Palácio da Alvorada na quinta-feira (9). O encontro durou cerca de quatro horas. Assessores que acompanharam a reunião afirmam que, na conversa, Temer aconselhou o presidente a publicar um “manifesto de pacificação” para reaproximar os poderes, e o ajudou a escrever o texto.

PUBLICIDADE

.

 

O resultado foi a “Declaração à Nação”, divulgada no site do governo federal, no qual o presidente Bolsonaro afirma que nunca teve “intenção de agredir quaisquer dos poderes”.

 

Bolsonaro também conversou por telefone com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, em ligação mediada por Temer.

PUBLICIDADE

 

Nos atos do 7 de setembro, o presidente fez discursos com fortes críticas ao Judiciário, sobretudo ao Supremo Tribunal Federal (STF). O principal alvo das críticas foi o ministro Alexandre de Moraes, relator de inquéritos contra o presidente e seus aliados. Bolsonaro afirmou que descumpriria decisões de Moraes, a quem chamou de canalha.

 

“Ao meu modo de ver, este documento [nota] que tivemos oportunidade de sugerir, colaborar, é um documento que revela um compromisso dele com a Constituição, com a harmonia entre os Poderes. Faz até uma referência ao ministro Alexandre de Moraes, em face de falas que ele teve durante aquele encontro na Paulista”, acrescentou Temer.

Sputnik Brasil


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp