Brasil

Tite se isenta e evita falar de Bolsonaro sobre a Copa América: “Alinhado com futebol”

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (7), às vésperas da partida contra o Paraguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, o técnico da seleção brasileira, Tite, negou um suposto alinhamento a Jair Bolsonaro e evitou entrar em polêmica.

Polêmica, aliás, é o que não falta neste momento na CBF: a entidade, mesmo durante a iminência de uma terceira onda de Covid-19 no país, aceitou realizar a Copa América no Brasil e teve o aval do governo Bolsonaro. Além disso, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado após denúncia de assédio sexual contra uma funcionária.

Quando perguntado sobre a necessidade de um treinador da seleção estar alinhado ao presidente do país, Tite respondeu: “técnico de futebol tem que estar alinhado com futebol”. Ele também foi perguntado sobre a campanha de bolsonaristas, como o próprio vice-presidente, Hamilton Mourão, e o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), por sua saída do cargo, e disse: “a melhor maneira de retribuir o carinho das pessoas é fazer meu melhor trabalho”.

Mais cedo, Mourão havia alfinetado Tite, dizendo que ‘o Cuiabá está precisando de técnico’, em uma clara pressão para que o treinador fosse demitido. Flávio, por sua vez, disse que Tite é “puxa saco” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Sobre o afastamento de Caboclo, o técnico afirmou: “essa alçada e essa responsabilidade é do Comitê de Ética da CBF”.

Mesmo diante de todas as pressões e polêmicas, a seleção brasileira decidiu participar da Copa América. O jogo de estreia está marcado para o próximo domingo (13).

Com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp