Pernambuco

TJPE mantém condenações dos ‘Canibais de Garanhuns’

Pena aplicada à Bruna Cristina houve alteração, já que o desembargador considerou a sentença dada pelo juiz dúbia durante a fixação da pena, e acabou favorecendo a ré.

 

Os desembargadores da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) mantiveram, por unanimidade, as condenações das três pessoas que ficaram conhecidas como “Canibais de Garanhuns“.

Os advogados de Jorge Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva tinham recorrido da sentença relacionada aos homicídios de duas mulheres, em Garanhuns, no ano de 2012. O júri popular aconteceu em dezembro de 2018. Jorge tinha recebido a pena de 71 anos de prisão, Isabel de 68, e Bruna de 71 anos e 10 meses.

 

O relator do processo, o desembargador Antônio de Melo e Lima, votou contra a redução das penas e também contra outros argumentos apresentados pelos advogados do réus. A pena aplicada à Bruna houve alteração, já que o desembargador considerou a sentença dada pelo juiz dúbia durante a fixação da pena, e acabou favorecendo a ré.

Por isso, Bruna teve a pena reduzida em 1 ano e vai cumprir 70 anos e 10 meses de prisão. Ela e Isabel estão presas na Colônia Penal Feminina de Buíque. Jorge Negromonte está na Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamacará.

*G1PE


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp