Nordeste

Viúva de Genivaldo de Jesus diz que com morte do marido família ficou sem sustento

Maria Fabiana dos Santos, viúva de Genivaldo de Jesus, homem morto por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) dentro de uma viatura, em Umbaúba-Sergipe, na última quarta-feira (25), disse que o marido era o arrimo da família e que agora, com a sua morte, teme pelo sustento dela e do filho de sete anos do casal.

 

“Além de viver um pesadelo, estamos agora sem saber como faremos para nos sustentar. Era o dinheiro do meu marido que dava conta do sustento da casa e que garantia um ensino de qualidade para nosso filho”, declarou

 

Fabiana, que procurou ajuda na Defensoria Pública da União, disse que o marido convivia com a esquizofrenia há cerca de 20 anos, tomava remédios e nunca foi um homem agressivo.

 

Genivaldo foi morto após ser abordado por policiais rodoviários federais por estar pilotando uma moto sem capacete.

 

A vítima não resistiu após ser presa e colocada pelos policiais no porta-malas do veículo, que se transformou em uma espécie de “câmara de gás” improvisada após os policiais jogarem gás de pimenta em seu interior.

 

De acordo com laudo divulgado nesta quinta pelo Instituto Médico Legal (IML), a causa da morte foi devido à asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda.

com 247


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp