Pernambuco

Espanhola Arena Desarrollo já opera Aeroporto do Recife e outras capitais

07/03/2020


Desde a terça-feira (3) o Aeroporto Internacional do Recife/Gilberto Freyre-Guararapes (PE) passou a ser administrado pela empresa espanhola Aena Desarrollo Internacional, no lugar da Infraero. A nova gestora venceu um leilão que arrematou os aeroportos do Bloco Nordeste por R$ 1,9 bilhão.

A mesma transferência aconteceu, nos dois primeiro meses deste ano, nos aeroportos de Juazeiro do Norte (CE), Campina Grande (PB), Maceió (AL), Aracaju (SE), e João Pessoa (PB).

Em comunicado enviado à imprensa do presidente da Infraero, Brigadeiro Paes de Barros, comentou que o processo de transição transcorreu de forma tranquila. “Quero agradecer o apoio e a dedicação dos profissionais da Infraero que contribuíram para que esse processo de transferência da gestão ocorresse da melhor forma possível”, ressaltou. Além dos terminais do Bloco Nordeste, a Infraero já finalizou as transições dos aeroportos dos blocos Sudeste e Centro-Oeste. Alta no fluxo em 2019

MOVIMENTADO – O Aeroporto do Recife encerrou 2019 com alta de 1,2% na movimentação de passageiros, passando de 8,4 milhões de passageiros para 8,5 milhões, entre embarques e desembarques. O fluxo de operações também teve alta no ano passado, se comparado ao ano anterior: foram 80.889 pousos e decolagens ante 78.766. Inaugurado em 2004, o terminal tem capacidade de atendimento de 17,8 milhões de passageiros por ano.

» Aeroporto do Recife é o 7º mais pontual do mundo entre terminais de médio porte; veja ranking
» Aeroporto do Recife registra mais de 8,5 milhões de passageiros em 2019
» Chegada da Aena ao Aeroporto do Recife traz expectativa de crescimento do turismo
» Nos bastidores do controle de tráfego aéreo

O terminal recifense recebeu boa avaliação de quem frequentou o terminal no último trimestre de 2019. A pesquisa de satisfação do usuário, divulgada no início de fevereiro, pelo Ministério da Infraestrutura, alcançou 67,5% das avaliações positivas na categoria de aeroportos que movimentam de 5 a 15 milhões de passageiros ao ano.

CONEXÕES – Atualmente oito companhias aéreas operam no terminal pernambucano: Gol, Latam, Azul, TAP, TACV, Air Europa, Condor e Copa. Diariamente, são oferecidos mais de 80 voos, que ligam a cidade pernambucana às capitais Curitiba (PR), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Goiânia (GO), Belo-Horizonte (MG), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Manaus (AM), Belém (PA), Aracaju (SE), Natal (RN), João Pessoa (PB), Maceió (AL) e São Luís (MA).

Já para voos regionais, o Guararapes conta com opções para as cidades de Juazeiro do Norte (CE), Imperatriz (MA), Campina Grande (PB) e Fernando de Noronha (RN). Para o exterior as rotas têm frequência média de 43 operações por semana.

Os destinos internacionais são a Cidade do Panamá, no Panamá, Cidade de Praia, em Cabo Verde, Santiago, no Chile, Buenos Aires, Rosário e Córdoba, na Argentina, Montevidéu, no Uruguai, Miami, Orlando e Fort Lauderdale, nos Estados Unidos. Na Europa, há ligações Lisboa, em Portugal e Madrid, na Espanha.

QUEM É A ARENA DESARROLLO – A empresa conquistou, em março de 2019, a concessão do terminal, junto com outros cinco do cobiçado bloco Nordeste: Juazeiro do Norte (CE), Maceió, Aracaju, Campina Grande (PB) e João Pessoa. Para tanto, pagou R$ 1,9 bilhão de outorga mínima, um ágio de 1.010% sobre o valor inicial, e deverá desembolsar R$ 788 milhões nos cinco primeiros anos de contrato em obras de melhorias.

Durante os 30 anos de validade da concessão, o investimento total previsto é de R$ 2,1 bilhão, sendo R$ 865,2 milhões somente no Recife. O valor equivale, em média, a R$ 28,8 milhões por ano. Para se ter ideia, sob a administração da Infraero, esse aporte médio anual foi de apenas R$ 2,13 milhões nos últimos dez anos.

ÂMBITO INTERNACIONAL – Na Espanha, a Aena Desarrollo opera 46 aeroportos e 2 helipontos. É acionista controlador, com 51%, do aeroporto de Londres-Luton no Reino Unido, além de gerenciar 12 aeroportos no México, dois na Colômbia e dois na Jamaica, que totalizaram um volume de passageiros de 72,2 milhões em 2018. Além disso, a empresa espanhola ainda presta serviços de consultoria para clientes estratégicos como a Companhia de Aeroportos de Cuba – ECASA.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.