Política

Mandetta diz que Onyx gravou escondido deputados criticando a Lava Jato durante reunião

O relato é feito pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, em seu livro lançado nesta sexta-feira (25)

25/09/2020


O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

Revista Nordeste

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM), gravou clandestinamente líderes da Câmara criticando a Lava Jato em 2016, durante uma reunião na casa do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM).

O relato é feito pelo ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, em seu livro lançado nesta sexta-feira (25), intitulado “Um paciente chamado Brasil”. Em 2016, Onyx era relator do pacote das 10 medidas contra a corrupção, proposto pela Lava Jato em Curitiba.

O agora ministro estava com ameaçado de perder lugar como relator por não discutir com os colegas as questões mais polêmicas do projeto, que incluíam prêmio em dinheiro a delatores. Em reunião na casa de Maia, Onyx foi cobrado por parlamentares sobre o assunto, mas ele se manteve irredutível.

No dia seguinte, Mandetta teria procurado Onyx para tentar encontrar um meio termo e  evitar que o colega de partido perdesse a relatoria. Eles então entraram em um encontro com assessores.

“O Onyx estava muito nervoso e tinha desistido de negociar os artigos. Reclamou comigo da postura de seus correligionários, que ele acreditava estarem tentando prejudicá-lo. Eu disse que precisava haver um acerto, porque senão iam tirá-lo da relatoria. Foi quando ele tirou o celular do bolso e me disse: ‘Ouve isso”.

De acordo com Mandetta, não havia crimes na conversa, e Onyx alegou ter feito a gravação sem querer. Mesmo assim, ele cogitou usar o áudio para se protefer: “Quero ver eles aguentarem a mídia em cima deles”.

Mandetta, então, avisou a Ronaldo Caiado e a Rodrigo Maia sobre a situação. De acordo com o livro, Caiado deu a Onyx a maior bronca que o ex-ministro já viu.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.