Nordeste

Mestre Aprígio, Patrimônio Vivo de Pernambuco, morre aos 79 anos

Morreu na noite da segunda-feira (27) o artesão José Aprígio Lopes, mais conhecido como Mestre Aprígio, Patrimônio Vivo de Pernambuco. Aos 79 anos, o artesão do Couro, estava internado há cerca de oito dias. Mestre Aprígio era hipertenso e tinha uma doença crônica. Chegou a passar alguns dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Segundo o filho de Mestre Aprígio, Romildo Aprígio, o pai estava internado no Hospital Regional Fernando Bezerra em uma sala próxima à UTI. Ele tinha apresentado melhoras. “Ontem eu conversei com o médico, que tinha dito que ele estava melhor. Mas depois piorou. Fizeram procedimento para reanimar”, disse Romildo.

Mestre Aprígio teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há mais de 10 anos, segundo Romildo Aprígio. O artesão do Couro faleceu no Hospital Regional. Segundo Romildo, o pai foi submetido na segunda-feira a um segundo teste da Covid-19 (SWAB). O primeiro tinha dado negativo. O resultado do SWAB deve sair em cerca de quatro dias.

Não haverá velório. O sepultamento será agora pela manhã no Cemitério de Ouricuri. Mestre Aprígio deixa a esposa, dois filhos e três netos.

Em nota, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, lamentou a morte de Mestre Aprígio.

“O convívio com os vaqueiros desde a infância, no Sertão pernambucano, e seu grande talento para o artesanato, fizeram do Mestre Aprígio um dos maiores artistas brasileiros no trabalho com o couro. Autor de lindas peças, seus chapéus, gibões e sandálias vestiram nomes como Luiz Gonzaga, Gonzaguinha e Dominguinhos, entre tantos outros. Eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco em 2019, seu legado permanecerá como uma referência indelével no cenário artístico e cultural do nosso Estado. Quero me solidarizar com seus familiares e amigos neste momento de dor”.

Símbolo da Cultura de Pernambuco

Mestre Aprígio foi eleito em 2019 patrimônio Vivo de Pernambuco. Ele foi um dos seis escolhidos pelo Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural do Recife na 14º edição do Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco (RPV-PE). Mestre Aprígio estava em plena atividade na arte do couro em Ouricuri, atividade acompanhada pelos filhos.

Nascido em 1941, Mestre Aprígio era natural de Exu, no Sertão de Pernambuco. O artesão era o predileto do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. “Eu tenho umas encomendas para você fazer para eu usar nos meus shows. Não é negócio para vaqueiro. Só para quando eu estiver no show”, lembrava Mestre Aprígio sobre o primeiro pedido de encomendas feito pelo Rei do Baião.

LEIA MAIS: Morre em Campina Grande Manelito Dantas, proprietário da Fazenda Carnaúba e primo de Ariano Suassuna


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp