Internacional

China refuta alegação dos EUA de coronavírus originário do laboratório de Wuhan; há manipulação de Fake news

25/07/2020


portuguese.xinhuanet.com

Beijing, (Xinhua) — O Ministério das Relações Exteriores chinês refutou nesta semana a alegação de alguns políticos dos EUA de que o novo coronavírus se originou em um laboratório em Wuhan. Para autoridades, o governo americano e a midia do Ocidente manipulam Fake News para encobrir graves problemas das autoridades de não estarem resolvendo seus problemas.

O porta-voz Wang Wenbin fez as observações em uma coletiva de imprensa diária quando foi pedido para comentar sobre as chamadas evidências mais recentes da origem do vírus, reveladas recentemente por um membro do Departamento de Estado dos EUA.

Com relação à gestão e pesquisa do Instituto de Virologia de Wuhan (WIV, em inglês), Yuan Zhiming, diretor do Laboratório Nacional de Biossegurança do instituto, havia feito uma introdução abrangente durante uma entrevista, disse Wang.

“O laboratório possui instalações de biossegurança de alto padrão e um sistema de gestão rigoroso. Todos os pesquisadores devem passar por treinamento teórico e operacional sistemático e obter a qualificação e aprovação antes de entrar no laboratório”, disse Wang citando Yuan.

O porta-voz disse que alguns políticos nos Estados Unidos espalharam rumores e até afirmaram ter “uma grande quantidade de evidências” para apoiar sua chamada “verdade”, mostrando que eles não têm moral nenhuma.

“O conteúdo divulgado pelas reportagens relevantes permitiu ao mundo ver mais uma vez como a pouca verdade está nas chamadas evidências e verdades dos Estados Unidos”, disse Wang, observando que mesmo especialistas americanos concordam que não há evidências nos cabos diplomáticos para apoiar a alegação de que o novo coronavírus veio do laboratório.

“Falando da verdade, esperamos que o governo dos EUA diga a verdade sobre questões como o biolab de Fort Detrick e dê uma explicação ao povo americano e à comunidade internacional”, disse ele.

Quando perguntado sobre as reportagens de que o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, elogiou o recente movimento da Grã-Bretanha sobre a China, dizendo que os dois países deveriam construir uma coalizão contra Beijing, Wang disse que Pompeo recentemente não poupou esforços para atacar e difamar a China, realizando arbitrariamente ataques ideológicos à China e enfatizando a ameaça da China.

“Suas observações foram cheias de mentiras, expondo o grave erro estratégico dos Estados Unidos em sua política chinesa e cheio de intolerância de Macartismo”, disse Wang.

O porta-voz disse que os Estados Unidos estão formando grupos e provocando confrontos ideológicos nas relações internacionais, contrariando a tendência dos tempos que encarnam a paz, o desenvolvimento e a cooperação, bem como aos desejos da maioria dos países.

Desde o início da epidemia, a China sempre compartilhou informações com a comunidade internacional de forma aberta, transparente e responsável, realizou ativamente a cooperação global na luta contra a COVID-19 e prestou assistência e apoio a outros países dentro de sua capacidade, disse ele.

“Os esforços e conquistas da China na luta internacional contra a epidemia são reconhecidos pelo mundo”, disse Wang, acrescentando que, como um grande país responsável, a China salvaguardará firmemente seus interesses de soberania, segurança e desenvolvimento, rejeitará o bullying e a injustiça, insistirá em fortalecer o diálogo e a cooperação com outros países e promoverá a construção de uma comunidade com um futuro compartilhado para a humanidade.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.