Nordeste

Com diminuição da fila por vaga de UTI, Pernambuco anuncia reabertura gradual; confira o cronograma

Retomada de alguns setores da economia é gradual, podendo ser adiada ou antecipada de acordo com o monitoramento do número de infectados pelo novo coronavírus

02/06/2020


Vista aérea da Zona Sul do Recife — Foto: Paulo Lopes / Prefeitura do Recife

G1 – Após 15 dias da chamada quarentena rígida contra o novo coronavírus, com restrição de circulação de carros e de pessoas no Recife e quatro cidades da região metropolitana, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou a retomada gradual das atividades econômicas.

A partir do dia 8 de junho, foram liberadas obras de construção civil, desde que funcionem com 50% da carga de trabalhadores, e o comércio atacadista, das 9h às 18h.

Protocolo de distanciamento social, higiene e monitoramento deve ser cumprido. Praias, parques e calçadões permanecem fechados.

O cronograma é composto por cinco fases, sendo a de número 5 o ponto em que há transmissão comunitária presente e intensa do novo coronavírus, com registros de mortes e casos crescentes. Com a estabilização dos casos, o estado entrou na fase 4 e iniciou a abertura gradual.

Cada fase é dividida em outras etapas, liberadas de acordo com a avaliação das anteriores. Na etapa atual, que é a de número 4.1, o isolamento social ainda é recomendado e as escolas e universidades seguem fechadas. Todas as reuniões e aglomerações devem ser canceladas. Praias e parques seguem fechados.

Confira, por data, como cada setor deve proceder:

Resumo do cronograma de flexibilização das atividades econômicas em Pernambuco — Foto: Reprodução/Governo de Pernambuco

Resumo do cronograma de flexibilização das atividades econômicas em Pernambuco — Foto: Reprodução/Governo de Pernambuco

1º de junho

Lojas de material de construção

A partir da segunda (1º), esses segmentos receberam autorização para funcionar, desde que obedeçam aos protocolos estabelecidos para evitar o aumento de casos da Covid-19 no estado. “Você vai poder entrar, mas com novas regras”, disse o secretário.

O protocolo a ser seguido é semelhante ao dos supermercados, com higienização de clientes e limitação de pessoas. As regras estão disponíveis na página do governo estadual.

Serviço de delivery do comércio não-essencial

Já para lojas de produtos não-essenciais, os trabalhadores podem retomar o deslocamento até os estabelecimentos para confeccionar ou entregar produtos. “As lojas continuam sem poder abrir para receber clientes e não são permitidos mais do que dez funcionários”, explicou o secretário.

8 de junho

Construção civil

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico, a retomada da construção civil deve ocorrer com 50% da capacidade de trabalho, ou seja, só metade do quadro de funcionários pode voltar a atuar. “Isso ocorre principalmente por causa do sistema de transporte público. Também fizemos uma readequação dos horários”, disse.

Na Região Metropolitana do Recife (RMR), o horário permitido para a construção civil vai das 9h às 18h. O horário pode ser estendido em outras regiões do estado.

Comércio atacadista

Para o comércio atacadista, o governo do estado também mantém o horário das 9h às 18h para estabelecimentos na RMR. As lojas também devem manter um protocolo de higiene que está disponível na internet.

“No momento em que a gente está preparando abertura gradual do varejo, estamos antecipando abertura das lojas físicas do comércio atacadista. É um tipo de atividade que não gera tanta aglomeração porque não é aberta para pessoas físicas e sim para jurídicas”, afirmou Schwambach.

15 de junho

Varejo de bairro

De acordo com o secretário, o governo busca retomar o comércio de varejo de bairro para evitar grandes deslocamentos nas cidades. “A indicação é que a gente inicie com essas lojas menores, para que a gente possa gradualmente colocar as atividades econômicas para funcionar. Só poderão funcionar lojas de bairro, com limitação de até 200 m²”, afirmou.

Salões de beleza e serviços de estética

Para estabelecimentos como salões de beleza, os protocolos devem ser específicos. “Não se deve ter mais aquela sala de espera, devem trabalhar com agendamento e fazer uma limpeza e desinfecção depois que cada cliente for atendido”, disse Schwambach. O protocolo completo para esses estabelecimentos está disponível na internet.

Delivery e coleta em shoppings centers e centros comerciais

Para as lojas em shoppings centers e em centros comerciais, além da permissão do delivery, o governo também possibilita a adoção de pontos de coleta por esses estabelecimentos, ou seja, o cliente pode pegar as mercadorias em um local determinado pela loja. Na RMR, o horário permitido para coleta vai das 12h às 18h.

Retorno dos treinos de futebol profissional

Para o futebol, os treinos profissionais devem ser liberados a partir de 15 de junho, mas seguindo um protocolo específico. “Estamos dialogando com os clubes e com a Federação [Pernambucana de Futebol] para que a gente retorne aos treinos com protocolo com testagem dos jogadores e com algumas regras que a gente vai implementar”, afirmou o secretário.

Datas podem ser alteradas

Segundo o secretário, a população também deve ficar atenta ao monitoramento dos casos confirmados do novo coronavírus no estado, que podem influenciar as datas de flexibilização das atividades econômicas.

“Eventualmente as datas podem ser postergadas ou até antecipadas, se os números forem muito favoráveis. A gente está colocando uma programação, mas é muito importante que as pessoas acompanhem os indicadores de saúde”, disse.

Confira as próximas etapas, ainda sem data:

Fase 4.4: Serviços médicos, odontológicos e veterinários estarão liberados, mas precisarão atender um cliente por vez, por agendamento, sem fila de espera e com higienização entre um cliente e outro. Concessionárias e locadoras poderão retornar seguindo novos protocolos.

Grau 3

Ao atingir grau 3, o estado ainda registra transmissão comunitária, mas há queda continuada no número de óbitos e de novos contágios, sem registro de filas de leitos. Ainda há recomendação de ficar em casa. Nessa etapa, começa a avaliação de flexibilização de aulas em escolas e universidades e há o início da abertura gradual de negócios não essenciais, porém com restrições de maneira setorial.

Fase 3.1: A Feira, o Polo de Confecções do Agreste e os shopping centers de todo o estado poderão voltar às atividades seguindo novos protocolos. O varejo de centro da RMR poderá voltar em lojas de até 200 metros quadrados. No interior, está liberado, respeitando protocolos específicos. Jogos de futebol estão liberados sem torcida.

Fase 3.2: Serviço público e de escritório (advogados, contadores, entre outros) poderão voltar com um terço da mão de obra. Piscinas e áreas esportivas de atividades sem contato (quadras de tênis, por exemplo) poderão funcionar.

Fase 3.3: Bares, restaurantes e lanchonetes poderão operar com 50% da capacidade. Serviço público e de escritório (advogados, contadores, entre outros) poderão ampliar atuação para 50% da mão de obra. O varejo de Centro está liberado, independentemente do tamanho da loja, respeitando novos protocolos de atendimento em todo o Estado.

Grau 2

Atingir o grau 2 significa dizer que não há registros de transmissão comunitária, porém ainda há transmissão local. Nessa fase, é esperado que o número de óbitos e novos contágios estejam estabilizados em patamares baixos.

Fase 2.1: Academias de ginástica e similares serão liberados, respeitando protocolos específicos. Serviços de escritório (advogados, contadores, entre outros) poderão ampliar atuação para 100% da mão de obra.

Fase 2.2: Serviço público poderá voltar com 100% da mão de obra. Museus, cinemas e teatros poderão funcionar com um terço da capacidade.

Grau 1

Essa é a etapa final do plano de convivência, onde há transmissão doméstica isolada, associada a casos de fora do estado, com a curva de transmissão e de óbitos horizontal e próxima de zero.

Fase 1.1: Poderão funcionar em todo o estado respeitando os novos protocolos: salões de beleza e serviços de estética; academias e similares; serviços médicos, odontológicos e veterinários; museus, cinemas e teatros; bares, restaurantes e lanchonetes; além do varejo de Centro, dos shopping centers, da Feira e do Polo de Confecções. Eventos esportivos voltarão a ser realizados com público, mas com limitação da capacidade.

Fase 1.2: Eventos gerais estarão liberados, respeitando os novos protocolos de prevenção.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.