Brasil

No rádio, Dilma dedica programa ao Nordeste e Aécio rebate ataques

16/10/2014


No programa eleitoral no rádio da manhã desta quarta-feira, a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) enfatizou melhorias promovidas na Região Nordeste ao longo de governos do PT. Ela citou o projeto de integração do Rio São Francisco e afirmou que a classe média cresceu 20% e chegou a 42% da população local, entre outros indicadores. Depois, a presidente mencionou as supostas críticas, que atribuiu a eleitores de Aécio Neves (PSDB), dirigidas a nordestinos – que vem gerando polêmica na internet e foram chamadas pelo tucano de estratégia petista.

– A gente não aceita ser chamado de ignorante como muitos apoiadores do Aécio estão fazendo nas redes sociais – afirmou a candidata, para quem "esse pensamento merece o mais forte repúdio" e só existe nos livros de história e "no preconceito de certas pessoas que escondem as alianças que sempre fizeram".

Depois de voltar a criticar a gestão de Aécio em Minas, afirmando que "o Aécio que governou o estado é diferente do candidato Aécio" e que "o mineiro que conhece o Aécio disse nas urnas que prefere Dilma", o programa petista acusou o tucano de intimidar jornalistas mineiros. Uma repórter deu seu depoimento, no qual disse que "era um telefone e o repórter, o fotógrafo o editor, o jornalista estava ameaçado de perder seu emprego".

TUCANOS SE DEFENDEM – O programa de Aécio, por sua vez, criticou a postura de Dilma e disse que a eleição virou "vale-tudo". O PSDB cita um documento da Advocacia Geral da União que diz que o piso salarial de Minas está dentro da média nacional – uma dos ataques de Dilma é que esse valor estaria abaixo do piso do país. Contra o argumento da votação petista no estado nessas eleições, o programa afirma que Antonio Anastasia, ex-governador que Aécio ajudou a eleger para sucedê-lo, "ganhou no Senado com 56% dos votos".

No fim do programa, um apresentador credita os ataques ao "medo dos adversários" e cita outros "alvos" ao longo da campanha.

– Já bateram na Marina, no Eduardo Campos, e agora, no Aécio.

Outro tema ao qual se dedicou o programa do Aécio foi a Segurança Pública. O tucano criticou a rival por "sempre procura desculpa para o que não resolveu na Segurança". O comando das polícias militares, atualmente, é uma atribuição estadual.

– Vamos reformar o Código Penal para acabarem com essa história de bandido entrar na cadeia por uma porta e sair pela outra – disse Aécio, que prometeu combater a impunidade e rever a maioridade penal.

A proposta do candidato, atualmente, é reduzir a maioridade penal para os 16 anos em caso de crimes hediondos. Esses jovens, segundo o tucano, iriam para presídios especiais.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.