Presidente da FUNDAJ dialoga com filha de Zélia e Jorge Amado em exposição na Caixa Cultural, no Recife

26/11/2019


Por Walter Santos

– Uma alegria reencontrar Paloma Amado na abertura exposição sobre seus pais , Zélia e Jorge Amado, na Caixa Cultural do Recife – declarou o presidente da Fundação Joaquim Nabuco, escritor e acadêmico Antonio Campos.

Para o também advogado, a expressão da obra de Zélia e Jorge Amado se reproduz na essência humana e intelectual da filha.

QUEM É – Brasileira nascida em Praga, na República Tcheca, com título de Cidadã Soteropolitana, Paloma é filha de Zélia e Jorge Amado, tem duas filhas e dois netos.

Divide suas atividades entre as cidades do Rio de Janeiro e Salvador. Formada em Psicologia Clínica, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, no ano de 1976, sempre trabalhou em áreas ligadas aos assuntos culturais, participando ativamente de congressos e conferências no Brasil, na França, Itália, no Chile e outros países.

Foi Presidente da Fundação Casa de Jorge Amado, de 2001 a 2003. Autora do posfácio do livro Bahia de Todos os Santos, de Jorge Amado, pela Editora Companhia das Letras em 2012. Tem vários livros publicados: A comida baiana de Jorge Amado, editora Maltese, 1994; editora Record, 2003; editora Companhia das Letras, 2014. Publicado também em Portugal por Publicações Dom Quixote; na Itália, por EinaudiEditori; na França, por LesÉditionsduLaquet.

OBRA INTEIRA – O ABC do amor de Zélia e Jorge, editoraMaltese, 1995. As frutas de Jorge Amado ou O livro de delícias de Fadul Abdala, Editora Companhia das Letras, 1997. O tempero da Dadá, Editora Corrupiu, 1998. Rua Alagoinhas 33, Rio Vermelho, pela Fundação Casa de Jorge Amado, 1999, em conjunto com Pedro Costa e Adenor Gondim. Jorge Amado, um baiano romântico e sensual, Editora Record, 2002, em conjunto com Zélia Gattai Amado e João Jorge Amado e A N@ve de Noé, Editora Record, 2000, em conjunto com Janaína Amado, João Jorge Amado, Inaê Amado, Fernanda Amado, Ricardo Ramos Filho, Rogério Ramos, Elizabeth Ramos, Beatriz Ramos e Maria Auxiliadora Lopes. Este livro foi publicado também em Portugal por Publicações Dom Quixote.

Especialista de Projeto da Unesco (Paris), na área do livro e editoração, desenvolve trabalhos gráficos em seu atelier Que Papelão!, Oficina de Artesanato Gráfico quando, além de serviços de papelaria, faz diagramação de livros e prepara exposições.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.