Internacional

Quatro vacinas chinesas contra COVID-19 entram na fase 3 de testes clínicos

30/08/2020


Beijing, (Xinhua) — Quatro vacinas chinesas contra a COVID-19 começaram a terceira fase de testes clínicos internacionais, de acordo com o mecanismo conjunto de prevenção e controle contra a COVID-19 do Conselho de Estado chinês.

Espera-se que alguns testes terminem a primeira rodada de vacinação no início de setembro, com os dados preliminares anunciados em novembro.

A terceira fase de testes clínicos normalmente envolvem milhares de pessoas para verificar a segurança e a eficácia das vacinas, o que é importante para a aprovação do mercado.

Como a epidemia está sob controle na China, o país não tem mais condições para os teste clínicos de grande escala. Portanto, todos os testes serão realizados no exterior.

Duas vacinas inativadas contra COVID-19 desenvolvidas pelo China National Biotec Group (CNBG) foram aprovadas para a terceira fase de testes clínicos em vários países no Oriente Médio e América do Sul, envolvendo mais de 30 mil pessoas, de acordo com Yang Xiaoming, presidente do CNBG.

Outra vacina inativada contra COVID-19 desenvolvida pela Sinovac Biotech Co., Ltd. está passando pela terceira fase de testes clínicos em alguns países na América do Sul e Sudeste Asiático, de acordo com Yin Weidong, presidente e CEO da Sinovac.

Uma vacina recombinante da COVID-19 com o adenovírus defectivo modificado como vetor também entrou na fase 3 de testes.

De acordo com uma diretriz para a avaliação clínica das vacinas contra a COVID-19 recentemente divulgada pela Administração Nacional de Produtos Médicos, a vacina deve fornecer imunidade por pelo menos seis meses, preferivelmente por mais de um ano.

Ao todo, 10 vacinas contra a COVID-19 foram aprovadas para entrar em testes clínicos na China. Além das quatro acima mencionadas que entraram na terceira fase, o restante inclui vacinas de proteína recombinante, vacinas de ácido nucleico e vacinas usando vírus de gripe atenuada como vetores.

Uma vacina de proteína recombinante desenvolvida pela Academia Chinesa de Ciências e uma empresa biofarmacêutica na Província de Anhui está passando pela segunda fase de testes clínicos.

Antes da produção em massa, todas as vacinas devem ser estritamente monitoradas e avaliadas pela segurança e eficácia.

De acordo com o mecanismo conjunto de prevenção e controle contra a COVID-19 do Conselho de Estado, a China aprovou um esquema de teste em 24 de junho para o uso de emergência das vacinas contra a COVID-19 e permitiu a utilização de duas delas. Em 22 de julho, o país iniciou oficialmente o uso de emergência das vacinas contra a COVID-19.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.