Brasil

Atual presidente da Petrobrás pode ser demitido antes do final do mês

247 – A descoberta tardia por Jair Bolsonaro de que a atual política de preços da Petrobrás, implantada por Michel Temer após o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff, é uma “barbaridade” pode custar a cabeça do presidente da Petrobrás, José Mauro Coelho.
“A situação do presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, que completou um mês no cargo no sábado (14), continua cercada de incertezas, segundo interlocutores ligados à companhia.

 

O Valor apurou que o novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, ‘transferiu’ para o Planalto a responsabilidade da discussão sobre a política de preços da companhia, que busca seguir a paridade das cotações domésticas às internacionais. Se Coelho quiser tratar o assunto, terá que fazê-lo não com o MME — a quem se reporta diretamente —, mas com o presidente Jair Bolsonaro”, informa o jornalista Francisco Góes, do Valor.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp