Brasil

Governador lembra que em março de 2021 Consorcio Nordeste já propunha quebra de patentes

 

O governador do Piauí, Wellington Dias, lembrou nesta quinta-feira que o Consorcio Nordeste entende a posição dos Estados Unidos sobre a quebra de patentes de vacinas da covid como atitude tomada lá atrás pelo conjunto de governadores bem anteriormente.

Ele explicou objetivamente :

“ Importante vitória ! A quebra da patente permite que laboratórios / indústrias brasileiras, por exemplo, não precisem de autorização para produção do IFA aqui mesmo no Brasil e permite maior controle e regularidade na produção e distribuição. É a melhor saída para o Brasil vacinar nosso povo mais cedo. A Fiocruz pode produzir a Astrazeneca e outras e assim o Butatan pode produzir IFA da Coronavac e outros e a União Química que já está autorizada a produzir IFA da Sputinick, vai poder iniciar com menos burocracia.“ Wellington Dias.

Em reunião dos governadores com representante da ONU, Marlova Jovchelovitch e outros integrantes de entidades como a Organização Mundial da Saúde, no dia 16 de março de 2021, a quebra de patentes de vacinas contra coronavírus foi pautada.

Segundo o governador do Piauí, Wellington Dias, coordenador da temática de vacina no Forum Nacional de Governadores, na referida agenda, o Governador do Maranhão, Flavio Dino defendeu a quebra de patentes de vacinas e foi acompanhado por outros governadores.

O pedido feito pelos governadores seria para a entidade atuar “da mesma forma como lá atrás, no precedente, tratou na área do HIV”. Com uma eventual quebra de patentes, a ideia seria de pagar os investimentos realizados nas pesquisas para desenvolvimento das vacinas.

“É possível que se pague por aquilo que foi o investimento na pesquisa, tecnologia, na ciência, nós queremos valorizar a ciência”, pontuou Dias à imprensa, a época.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp