Pernambuco

Homem é preso por matar artista de rua a facadas dentro de metrô em movimento; ‘carinhoso e justo’, diz mãe sobre vítima

Captura ocorreu nesta quarta (22), um dia depois do crime. Passageiros que usam o Metrô do Recife reclamaram da violência e da insegurança do sistema.

A polícia prendeu em flagrante, nesta quarta (22), um suspeito de assassinar um artista de rua dentro de um metrô em movimento, no Recife. Bruno Henrique, de 22 anos, levou facadas na terça (21), entre as estações Imbiribeira e Antônio Falcão, na Linha Sul. O crime deixou apavorados passageiros e funcionários do sistema metroviário.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito, que não teve o nome nem idade divulgados, foi preso por volta do meio-dia desta quarta, nas proximidades do Mercado de Afogados, na Zona Oeste da capital pernambucana.

A captura foi efetuada por equipes da 3ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DHP), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Pouco antes da prisão do suspeito, a mãe de Bruno Henrique, Lucicleide Maria dos Santos, falou sobre o jovem, em uma entrevista.

A mãe da vítima esteve no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central da cidade, para liberar o corpo do rapaz. Ela afirmou que o filho era “um amor de pessoa”.

Lucicleide disse, ainda, que “não tinha palavras para descrever o filho”, a quem chamou de “carinhoso e justo”.

Sobre a possível motivação do crime, ela disse que “acredita que pessoas que têm um coração mau mesmo. “Se alguém dissesse que ele fez uma coisa ele não fez ele até o fim”, afirmou.

Nesta quarta, poucas horas após divulgar a prisão, a Polícia Civil concedeu uma entrevista coletiva para detalhar a captura do suspeito do assassinato no metrô.

Segundo e o delegado Bruno Ugalde, da 3ª DPH, o jovem capturado tem 19 anos e confessou ter praticado o homicídio.

“Ele alegou que a vítima teria furtado o o celular dele, um dia antes do crime. Disse que pegou uma faca em casa e se preparou para matar o artista de rua. Afirmou também que abordou a vítima e trocou meia dúzia de palavras, antes de desferir os golpes de faca”, afirmou o policial.

Ainda de acordo com Ugalde, o jovem foi autuado por homicídio qualificado, por crueldade e por motivação fútil. “Ele deu cerca de oito facadas na vítima”, declarou. O jovem será encaminhado para audiência de custódia.

Sobre as investigações, o policial disse que não “restaram dúvidas” da autoria do crime. Agora, a polícia pretende saber se o suposto furto de celular alegado pelo autor confesso do crime realmente ocorreu.

“Um amigo da vítima chegou a relatar esse fato. Vamos apurar com outras pessoas para saber o que aconteceu, mas será em outra etapa da apuração”, disse.

A reportagem ouviu passageiros nesta quarta e ouviu relatos de quem tem medo de usar o sistema (veja vídeo acima).

Em janeiro, devido à insegurança, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e a Polícia Militar deflagraram a Operação Linha Segurança, para reprimir crimes no metrô. Para os passageiros, no entanto, a ação não tem surtido efeito.

Um funcionário do sistema informou que, pouco antes da chegada da equipe de reportagem, um assalto ocorreu em um trem que estava próximo a Joana Bezerra, principal estação de metrô do sistema.

Criminosos roubaram objetos dentro de um vagão e desceram na Estação Joana Bezerra, fugindo em seguida. Jorge Salviano, que usa o metrô diariamente, afirmou ter medo. “Houve uma tragédia. A gente fica assustado”, declarou.

A passageira Maria Gorete relatou ter medo de assaltos dentro dos vagões. “Foi chocante. Graças a Deus eu não estava. A gente fica com medo, não tem como escapar de um problema. Está tudo fechado [dentro do trem em movimento]”, disse.

Mauricéia Rodrigues afirmou que, por medo, anda mais de ônibus que de metrô. “O sentimento é de insegurança e a gente não encontra policiais”, acrescentou.

 

*G1PE

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp