Brasil

Pablo Marçal crítica ataques ao Judiciário, acredita na lisura das urnas e defende a democracia

O pré-candidato à Presidência da República pelo Pros, Pablo Marçal, criticou hoje os ataques ao Supremo Tribunal Federal. Ele acredita que o Judiciário cumpre seu papel, mas vê necessidade do país criar uma nova constituição, mais enxuta.

 

 

“O problema não é o STF, não existe motivo para se opor ao Supremo, pois ele é o guardião da Constituição”, reforça Marçal. “O gargalo está na Carta Magna, que arrasta 800 toneladas de informações”, acrescentou.

 

O pré-candidato do Pros traçou paralelo com a constituição americana. “Os Estados Unidos, referência de nação democrática, têm uma constituição com 13 páginas. A nossa tem 498”, ilustrou.
Marçal fez um apelo aos brasileiros: “Peçam uma nova constituição”. Ele acredita que, no formato atual, a Carta Magna produz entraves ao desenvolvimento do país.

 

“Para além das travas atuais, até 2030 teremos profundas alterações econômicas, que demandarão mudanças legais, a exemplo do fim do uso dos combustíveis fósseis e dos avanços tecnológicos”, finalizou.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp