Política

Presidente do Senado propõe diálogo de governadores com Petrobras e diz que gestores e ICMS não têm culpa por alta nos combustíveis

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, se reuniu nesta quinta-feira (21) com  governadores sobre a proposta de valor fixo para a cobrança de ICMS sobre combustíveis. Ele admitiu que os gestores não têm culpa da alta do valor dos combustíveis e propôs diálogo com a Petrobras.

 

“Vou propor com a direção da Petrobras o diálogo com os governadores, sobre caminhos que sejam comuns, sobre a politica de preços e da participação da Petrobras na sua essência. Os estados não são o responsáveis pela alta dos preços, colocar a Petrobras na discussão eu me proponho fazer, quanto ao monopólio da Petrobras, também pode ser discutido, já há ideias em torno desse tema”, declarou.

 

Wellington Dias, presidente do Consórcio Nordeste, declarou que os governadores e o presidente do Senado chegaram em um consenso sobre a questão.

 

“O consenso entre governadores e presidente do senado é de que a alteração do preço dos combustíveis não pode ser colocada como por conta do ICMS. Sempre tivemos o ICMS, a mesma alíquota a vários anos, não teve alteração, lá atrás a gente tinha operação tanto do câmbio, também do preço do barril do petróleo, e não havia essa subida brusca no preço da gasolina, nem do óleo, diesel, ou gás… a alternativa  resolve caindo preço para algo em torno de r$ 4,50 o preço da gasolina seria  o preço normal hoje com a capitalização do Fundo de capitalização do combustível, como era em 2016. Então o próprio ministro Paulo Guedes já admitiu que  está com um grupo de estudo para fazer essa capitalização. Não só cai o preço, como também se sustenta”, definiu.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp