Brasil

Auxílio: Bolsonaro afirma que governo “não aguenta” outra parcela de R$ 600

Declaração foi dada após evento de lançamento do canal de TV AgroMais, em Brasília

22/06/2020


Na imagem o presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro falou nesta segunda-feira (22) sobre a prorrogação do auxílio emergencial, criado para amenizar a crise financeira decorrente do novo coronavírus. Segundo Bolsonaro, a União não consegue pagar uma quarta parcela de R$ 600 para a população.

“União não aguenta outro desse mesmo montante, que, por mês, nos custa cerca de 50 bilhões de reais. Se o país se endividar demais, vamos ter problema”, disse Bolsonaro.

A declaração foi dada após evento de lançamento do canal de TV AgroMais, do grupo Bandeirantes. “Vai ser negociado com a Câmara, presidente da Câmara, presidente do Senado, um valor um pouco mais baixo e prorrogar por mais dois meses talvez a gente suporte, mas não o valor cheio de 600 reais”, completou.

Desta forma, Bolsonaro mantém a promessa de prorrogação do auxílio. Como havia anunciado há cerca de duas semanas, o governo pretende pagar mais duas parcelas de R$ 300 aos beneficiários. Somado às três parcelas de R$ 600, cada brasileiro receberia R$ 1,2 mil durante a pandemia de covid-19. As mães solteiras chefes de família teriam este valor dobrado.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.