Nordeste

Gestora Regional do Nordeste do Grupo Sabin aborda ” “criatividade para manter a qualidade da saúde dos pacientes em meio a pandemia”

Em meio ao Carnaval sem aglomerações em face dos efeitos da COVID-19 eis que a gestora regional do Grupo Sabin no Nordeste, Agnaluce Moreira, resolveu dar uma contribuição à sociedade abordando como gerar “criatividade para manter a qualidade da saúde dos pacientes em meio à pandemia”.

Eis o texto na íntegra, a seguir:

“Sair de casa, hábito tão bem exercido pelos brasileiros, mudou completamente no último ano. Tanto clientes quanto empresas precisaram mudar rotinas e serviços, respectivamente, para encarar a nova realidade mundial. O setor de saúde, um dos mais mais atingidos e essenciais à população, foi o que teve maior necessidade de se adequar aos novos tempos.

O Grupo Sabin, empresa de medicina diagnóstica, ampliou o serviço de coleta móvel para atender ao aumento da procura por exames sem sair de casa e assim manter o distanciamento social por parte dos clientes.

Com a pandemia, o serviço móvel de coleta, que era mais procurado por pessoas com dificuldade de locomoção, idosos e também por clientes que buscavam mais comodidade, passou a ser demandado por todos que queriam fazer manter o isolamento social sem deixar de cuidar da saúde. A procura aumentou tanto para exames de rotina quanto para o teste de detecção do novo vírus.

Para atender ao crescimento das solicitações, precisamos expandir nossa estrutura e equipe e definimos novos protocolos para a coleta de material na casa do cliente. Além disso, reforçamos as práticas relacionadas à segurança e proteção de clientes e colaboradores. Todos recebem equipamentos de proteção individual específicos alinhados aos procedimentos que executarão.

Além de serviços de medicina diagnóstica em domicílio, disponibilizamos aplicação de vacinas em casa. O serviço é muito demando por mães para proteger os recém-nascidos e por idosos e pessoas com dificuldade de locomoção.

Reforçamos também o serviço de unidades móveis, um formato desenvolvido para atender regiões com demanda por exames de análises clínicas onde ainda não há uma unidade física da empresa. Além disso implementamos o drive-thru.

Para oferecer maior comodidade ao cliente, ele recebe atendimento sem sair do carro. O serviço já estava previsto no planejamento da empresa antes da pandemia, mas o Sars-CoV-2 acelerou o projeto, que integrado ao e-commerce, permitiu a redução de etapas no processo de compra e uso do serviço, bem como agilidade no atendimento.

E não foi somente o setor de saúde que teve que se adaptar aos novos tempos. A prestação de serviços em domicílio e as entregas ou delivery de produtos foram atividades que mais se destacaram na economia em 2020. E, em muitos casos, os responsáveis pela sobrevivência de muitos negócios, como no caso de algums restaurantes que precisaram ficar fechados por alguns meses.

Pesquisas mostram que o consumo de serviços de entrega de comida pelo brasileiro cresceu 103% no primeiro semestre de 2020, de acordo com pesquisa da startup de gestão de finanças pessoais, Mobills.

Outro setor impactado com o isolamento social foi o de moda. Lojas de roupas precisaram encerrar seus atendimentos presenciais e passaram a ir até a casa dos clientes.

De acordo com a Simbio, empresa que criou aplicativo que permite que os varejistas enviem encomendas para os clientes experimentarem em casa, a conversão de vendas em domicílio é maior que 60%, diferente das vendas em loja presencial que atingem até 40% de conversão.

Para a sobrevivência de alguns pequenos negócios e a segurança de consumidores e clientes, as entregas e serviços prestados em casa continuarão em 2021.

Agnaluce Moreira é gestora regional do Nordeste do Grupo Sabin.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp