Nordeste

Levantamento aponta curva decrescente com redução significativa no número de óbitos e casos confirmados da Covid-19, na Paraíba

Dados são do novo estudo sobre análises e estatísticas do Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (LABIMEC), da Universidade Federal da Paraíba

05/07/2020


Imagem meramente ilustrativa

Revista Nordeste

Novo estudo sobre análises e estatísticas do Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (LABIMEC), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), divulgado neste fim de semana, relativo aos efeitos e avanço da Covid-19 no Estado, aponta que a Paraíba vem numa curva decrescente da doença com uma redução significativa no número de notificações de casos confirmados do novo coronavírus, além de queda no número de óbitos, ao mesmo tempo em que o número de pacientes recuperados aumenta consideravelmente.

Se confrontado junto aos dados do boletim divulgado na semana epidemiológica 09, quanto os publicados na semana 10 do boletim LABIMEC, observamos 842 óbitos contra 709 desta semana, representando uma diminuição de 133 notificações. Levando em conta o número de casos confirmados, temos uma queda ainda mais significativa, quando foram apontados 9.064 no boletim anterior contra 8.712 desta semana, chegando a uma redução de 352 notificações de casos. 

Análise Perfil dos Óbitos

Um perfil foi construído pelo LABIMEC a partir de dados dos óbitos do novo coronavírus no Estado para o dia 02 de Julho e, a partir dele, foi possível verificar que 70,7% das vítimas tinham mais de 60 anos e 74% tinham pelo menos 01 comorbidade. As vítimas estão distribuída em 41,4% mulheres e 58,6% em homens. A média de idade foi 67,9 anos, maior que semana passada.

Dentre as comorbidades mais comuns, destacam-se, em ordem decrescente: diabetes (33,8%), hipertensão (32,5%),  cardíacos (19,9%), obesidade (6,7%), doenças neurológicas (6,3%), fumantes (3,6%) e neoplasias malignas (2,3%).

O tempo médio de início de sintomas até o óbito ficou em 13 dias, dentro do observado em outros países. Foram adicionamos informação do local do óbito, sendo que, 91,9% deles ocorreram em hospitais públicos, 4,9% em hospitais privados, 2,7% em sua residência e 0,5% não foram informados. O LABIMEC ressaltou que a “análise dos locais de óbitos não é suficiente para medir a eficiência do serviço público ou privado de saúde”.

Imagem reprodução – Estudo sobre análises do Laboratório de Inteligência Artificial e Macroeconomia Computacional (LABIMEC)

 

Processo de Interiorização do Covid-19

Segundo o levantamento, há um processo de interiorização do novo coronavírus no Estado da Paraíba, e para evidenciar esse fenômeno, o estudo propôs as seguintes etapas:

 Análise da variação na quantidade de cidades que confirmaram seu primeiro caso de Covid-19;
 Análise da participação dos casos confirmados dos 6 municípios mais afetados em relação aos novos casos de João Pessoas (epicentro do Covid-19 no Estado);
 Por fim, análise da participação das regiões metropolitana de João Pessoa em relação ao resto dos municípios do estado e das zonas metropolitana de Campina Grande, Guarabira e Patos.

Análise das Regiões Metropolitanas

Uma análise da evolução da participação da região metropolitana de João Pessoa em relação aos demais municípios do Estado também foi realizada. Segundo ele, exatamente no dia 05 de junho, a zona metropolitana de João Pessoa passa a representar menos de 50% dos casos da Paraíba.

Quanto as regiões metropolitanas de Campina Grande, Guarabira e Patos, foi apontado uma evidente estabilização da participação das zonas dos 3 municípios nos casos confirmados de Covid-19. Diferente do apontado no boletim passado, a situação dessa semana é similar a da semana passada, o que ainda não indica um sinal de reversão da curva.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.