Nordeste

No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, Ceará lança programa para descentralizar serviços

Fhilipe Augusto – Texto
Carlos Gibaja – Fotos

 

A iniciativa vai promover junto às pessoas com deficiência um cadastro, censo, formação profissional e implantação de oficinas-escolas em órteses e próteses

Como parte do Programa de Modernização da Saúde, o Governo do Ceará lançou nesta quinta-feira (3) o Programa de Assistência à Saúde das Pessoas com Deficiência. A iniciativa foi anunciada pelo governador Camilo Santana justamente na data em que é marcada pela luta mundial da categoria. A ação vai promover junto ao público-alvo cadastro, censo, formação profissional e implantação de oficinas-escolas em órteses e próteses.

“Esse programa vai possibilitar a inserção e integração das pessoas com deficiência nas políticas públicas, especialmente na saúde. O programa vai fazer a diferença principalmente para as pessoas que moram no Interior e muitas vezes se deslocam para a Capital. A lógica hoje é a descentralização para que as pessoas possam ter os serviços prestados na sua região. Vamos poder planejar para as pessoas receberem a sua assistência, seja a órtese, prótese, cadeira de rodas, medicamento, na sua região”, detalhou Camilo Santana ao comentar a finalidade do novo programa.

Além de levar o serviço de saúde para mais perto do seu público-alvo, o governador explicou que o projeto vai viabilizar também um ganho econômico para as pessoas com deficiência. “Uma outra questão é criar uma economia no entorno dessa área da saúde no Interior com as próteses, a recuperação, manutenção. A ideia é capacitar essas pessoas com deficiência para fazer esse trabalho lá mesmo, inclusive utilizando as nossas policlínicas”, informou o chefe do Executivo estadual.

O programa vai mapear o quantitativo de pessoas com deficiência no Estado através de um cadastro. Em seguida, vai promover um censo para obter informações detalhadas sobre o universo da pessoa com deficiência no Ceará. Para além dessas informações, o Estado vai capacitar cearenses para a elaboração, adaptação e manutenção de órteses e próteses com a implantação de oficinas-escolas, possibilitando emprego e renda à pessoa com deficiência, reabilitação, maior autonomia e garantia de inclusão social.


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você