Brasil

Rogério Caboclo é afastado da presidência da CBF após denúncia de assédio sexual

Dirigente deixa o cargo por 30 dias por decisão do Conselho de Ética da CBF, após ser acusado de assediar sexualmente uma funcionária.

247 – O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo neste domingo (6). Por decisão do Conselho de Ética, o dirigente da entidade máxima do futebol brasileiro está fora de suas funções, inicialmente por 30 dias, após vir à tona denúncias de assédio sexual e moral feitas contra ele por uma funcionária da CBF.

Segundo reportagem do Globo Esporte, o vice mais velho, Antônio Carlos Nunes, assume durante o período de afastamento. Uma reunião entre os diretores e vice-presidentes foi convocada para a manhã desta segunda-feira (7), no Rio de Janeiro.

Pressionado por patrocinadores e outros dirigentes da confederação, Caboclo agora cuidará de sua defesa e sairá de cena no momento de atrito entre comissão técnica e jogadores da seleção brasileira antes da Copa América. Tite e o grupo de atletas prometem se manifestar na terça-feira sobre a realização do torneio no país.

247 – O presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo neste domingo (6). Por decisão do Conselho de Ética, o dirigente da entidade máxima do futebol brasileiro está fora de suas funções, inicialmente por 30 dias, após vir à tona denúncias de assédio sexual e moral feitas contra ele por uma funcionária da CBF.

Segundo reportagem do Globo Esporte, o vice mais velho, Antônio Carlos Nunes, assume durante o período de afastamento. Uma reunião entre os diretores e vice-presidentes foi convocada para a manhã desta segunda-feira (7), no Rio de Janeiro.

Pressionado por patrocinadores e outros dirigentes da confederação, Caboclo agora cuidará de sua defesa e sairá de cena no momento de atrito entre comissão técnica e jogadores da seleção brasileira antes da Copa América. Tite e o grupo de atletas prometem se manifestar na terça-feira sobre a realização do torneio no país.

O jornalista André Rizek informou em sua coluna que o governo federal recebeu uma mensagem tranquilizadora de Caboclo afirmando que demitiria o atual técnico da Seleção Brasileira, Tite, por Renato Gaúcho, bolsonarista alinhado ao Planalto.

Grave denúncia

Na denúncia, a funcionária detalha o dia em que o dirigente, após sucessivos comportamentos abusivos, perguntou se ela se “masturbava”. Entre outros episódios de extrema gravidade, segundo a funcionária, Caboclo tentou forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de “cadela”.

*Brasil247

 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp