Bahia

Empresário com larga experiência na Bahia lança livro com revelações extraordinárias de mercado

O empresário baiano Adary Oliveira, ex-presidente e ex-dirigente da Associação Comercial da Bahia analisa em livro a ser lançado na conjuntura avalia com <span;>ambiente empresarial levando para os leitores  a discussão de assuntos relacionados ao mundo dos negócios, tirando reflexões das lições que o cotidiano mostra sem rodeios.

Segundo o autor, o”  título do livro de minha autoria que está sendo lançado esta semana pela Editora Appris (www.editoraappris.com.br). Ele mergulha no ambiente empresarial levando para a discussão assuntos relacionados ao mundo dos negócios, tirando reflexões das lições que o cotidiano mostra sem rodeios. A ideia simples de empreender, de criar instrumentos de produção de bens e serviços geradores de riqueza, fascinam a humanidade desde os tempos remotos”.

E adiciona: “Há mais de 30 anos participo da direção da Associação Comercial da Bahia (ACB) e tive oportunidade de conviver com figuras notáveis do mundo empresarial. Cito Norberto Odebrecht, que fundou e dirigiu a maior empresa de engenharia do Brasil com atuação em mais de 30 países. Euvaldo Luz, com quem conversei longamente, ouvindo a história da fundação da Salgema, em Alagoas, após ouvir de funcionários da Petrobras a notícia da mina do sal recém-descoberto. Não titubeou, requereu a pesquisa, procurou a Du Pont e montou a fábrica de soda-cloro. Outro com quem convivi foi Max Paskin, fundador da fábrica de metacrilato de metila (MMA) em Candeias, hoje pertencente ao Grupo Unigel. Ele era fabricante de chapas acrílicas no Rio de Janeiro e montou a usina de MMA, deixando de importar esta matéria-prima. Também ouvi relatos sobre o movimento Empreendimentos da Bahia que criou o Projeto Sibra, implantando uma eletrosiderúrgica em Simões Filho, traçando as primeiras linhas do projeto do Centro Industrial de Aratu e semeando a ideia de<span;>ambiente empresarial levando para a discussão assuntos relacionados ao mundo dos negócios, tirando reflexões das lições que o cotidiano mostra sem rodeios.<span;> nos artigos gerados nas conversas de empresários da ACB, sugerindo novas oportunidades de negócios e de novas frentes de investimentos”.

– O livro é de leitura fácil e revela o interior do mundo vivido pelos empreendedores ao longo dos anos desde os tempos que se ia para a ACB a barco, de charrete ou a pé, até os tempos do automóvel, da telefonia móvel e das mensagens digitais online. Ele foi organizado com o ajuntamento de artigos escritos durante os anos de 2017 a 2019 e agrupados em capítulos que refletem as preocupações do empresariado durante anos, registrando acontecimentos da vida econômica e social da Bahia e do Brasil, frisou.

Para ele, “o primeiro capítulo trata do Desenvolvimento Regional. As incertezas, os desafios, a necessidade de transformação para que as empresas sejam mantidas vivas e atuantes. O imperativo dado pelas mudanças da conjuntura econômica na incorporação de novas tecnologias, a absorção de novos conhecimentos, o desejo de perpetuação das instituições, tornam o tema fascinante e presente no ambiente de qualquer organização”.

E acrescenta: “O segundo capítulo é dedicado ao assunto Petróleo e Gás Natural. A discussão sobre o destino da Petrobras, quando se procura alienar unidades operacionais para seguir diretrizes estratégicas de se concentrar na Região Sudeste, ficando apenas com ativos que proporcionem rentabilidades consideradas ótimas; a contenda levantada pela venda e fechamento de fábricas menos produtivas e a geração consequente do desemprego; os leilões para concessão de áreas exploratórias; a influência dos rumos internacionais da indústria de óleo e gás, que terminam por contagiar os cenários de decisões e se fazerem presentes nas agendas das reuniões, seminários e congressos”.

– Políticas Públicas dá corpo a capítulo que procura analisar as decisões dos governos consideradas prejudiciais à sociedade como um todo, sugerindo alternativas e apontando realizações que busquem a maximização dos benefícios sociais como preocupação prioritária que deve ser adotada pelos governantes. O fechamento de portos, a hibernação de fábricas, a paralização de projetos estruturantes, a má conservação de rodovias e ferrovias, a não adoção de prioridade para o transporte marítimo de cabotagem, em boa parte se deve à ausência de políticas públicas adequadas ou a falta delas, daí as observações e recomendações indicadas pelos empresários, acrescenta.

 

Por fim: O capítulo Lições reflete momentos do professor, reproduzindo aulas lecionadas nas universidades e de significado valioso para as atividades empresariais. Cada um dos assuntos leva-nos a fazer reflexões sobre o valor da vida e da construção da sociedade que desejamos. Acredito no seu uso por estudantes, professores, empresários, governantes, profissionais da iniciativa privada e funcionários públicos pela diversidade de informações, conteúdo prático e promovedor de reflexões.

Adary Oliveira é engenheiro químico e professor (Dr.) – adary347@gmail.com 


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp