Internacional

Gabriel Boric é eleito novo presidente do Chile aos 35 anos

Em disputa polarizada, representante da esquerda e ex-líder estudantil venceu o ultradireitista José Antonio Kast. Com apenas 35 anos, será o presidente chileno mais jovem da história.

O candidato de esquerda, Gabriel Boric, foi eleito presidente do Chile neste domingo (19). Aos 35 anos, será a pessoa mais jovem da história a ocupar o cargo. Ele já foi deputado e líder estudantil.

Numa eleição marcada pela polarização política, Boric venceu o advogado José Antonio Kast, de ultradireita. Kast informou em rede social que telefonou para o rival reconhecendo a derrota e parabenizando-o pela vitória.

Até as 20h10 deste domingo, com 98,77% das urnas apuradas, Boric tinha 55,9% dos votos, contra 44,2% de Kast.

 

Boric havia ficado em segundo lugar no primeiro turno, com 25,82%. Já Kast teve 27,91%. É a primeira vez desde a redemocratização, três décadas atrás, que um candidato que não venceu o primeiro turno chega à presidência. A posse ocorre em março.

Nascido na província de Magallanes, na região mais ao sul do país, Gabriel Boric tenta se tornar o presidente mais jovem do Chile: caso seja eleito, assumiria o poder em março com 36 anos, cinco a menos que Manuel Bulnes, que tinha 41 quando chegou à Presidência, em 1841.

Boric se tornou figura pública nacional durante as grandes marchas do movimento estudantil, entre os anos 2011 e 2013. Foi presidente da Federação de Estudantes da Universidade do Chile no ano de 2012 e um dos líderes daquela onda de protestos que pedia o fim das dívidas estudantis e a gratuidade nas instituições de ensino, desde o ensino fundamental até o superior.

Em 2013, disputou as eleições como candidato independente e foi eleito deputado pela primeira vez, junto com outros líderes estudantis, como Camila Vallejo, Giorgio Jackson e Karol Cariola.

Durante seu primeiro mandato, ajudou a fundar a Frente Ampla, junto com Jackson, reunindo vários pequenos partidos ligados a ex-líderes estudantis.

Em 2021, a Frente Ampla fez uma aliança com o Partido Comunista – de Vallejo e Cariola – e surgiu assim a coalizão Aprovo Dignidade, a qual ele passou a encabeçar após vencer as eleições prévias em julho passado, ao superar o comunista Daniel Jadue, prefeito da comuna de Recoleta, uma das mais populosas da região metropolitana de Santiago.

Quem é José Antonio Kast?

José Antonio Kast nasceu em Santiago do Chile e tem 55 anos. Seu pai, Michael Kast, foi um oficial do exército nazista e militante do partido de Adolf Hitler, que fugiu do seu país natal após a derrota do Terceiro Reich na Segunda Guerra Mundial.

Atualmente representa o Partido Republicano, criado por ele em 2018 após sua saída da UDI (União Democrata Independente), o partido criado nos anos 1980 pelos principais colaboradores civis do pinochetismo, mas ao qual ele renunciou por considerar que estavam se afastando demais do ideário da direita.

Suas ligações com o regime de Augusto Pinochet (1973-1990) também começaram em família: José Antonio é o mais jovem de dez irmãos, sendo que um dos mais velhos, Miguel Kast, foi um dos famosos “Chicago Boys”, economistas formados na Universidade de Chicago e encarregados de implementar o neoliberalismo no Chile com o apoio da repressão militar durante a ditadura. Miguel encabeçou dois ministérios durante os anos de Pinochet: o da Planificação, entre 1978 e 1980, e o do Trabalho, entre 1980 e 1982.

Mas Pinochet não é a única inspiração de José Antonio Kast. Em todas as entrevistas e debates, o candidato cita como seu modelo de governo na América Latina o do brasileiro Jair Bolsonaro. “Bolsonaro é um presidente que fez coisas importantes no Brasil em termos de combate à delinquência e de combate à corrupção e essas coisas eu quero reproduzir no Chile em meu governo”, explicou Kast em um debate.

*wscom


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp