Bahia

Integrantes do MST protestam, denunciam violência no campo e paralisação da reforma agrária na Bahia

Marcha faz parte de ato nacional e marca os 25 anos do ‘Massacre de Eldorado dos Carajás’.

 

Representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) protestam em frente à sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Eles denunciam a violência no campo e a paralisação da reforma agrária na Bahia.

O grupo saiu de assentamentos em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador, no dia 11 de abril, e chegou nesta segunda à capital baiana.

De acordo com o MST, os trabalhadores rurais planejam permanecer na sede do órgão até que haja um posicionamento da direção nacional para definir os rumos da manifestação.

A marcha interditou uma das faixas da BR-324 e provocou lentidão no trânsito na Avenida Paralela. Mesmo com as chuvas, o grupo seguiu na caminhada até a sede do Incra.

A caminhada faz parte de um ato nacional de lutas em defesa da reforma agrária, que tem como pautas a defesa da terra, o direito à moradia e contra a fome no Brasil.

Os atos compõem o “Abril Vermelho”, mês que marca o “Massacre de Eldorado dos Carajás”, que ocorreu no Pará em 1996, onde 21 trabalhadores rurais foram assassinados.

A reportagem entrou em contato com o Incra e aguarda um posicionamento.

 

*g1ba


Os comentários a seguir são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Recomendamos pra você


Receba Notícias no WhatsApp